quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

É a soma das pequeninas coisas que me faz estar alegre!

Amigas, obrigada pelo carinho!!!

Simone, como você disse, sempre teremos que fazer escolhas em nossas vidas. E infelizmente muitas das nossas escolhas vem embutidas de preconceitos de outras pessoas. Estejamos sempre abertos. O preconceito é apenas uma máscara para esconder o rosto do medo. Fico feliz por você ter se candidatado a uma das mais belas experiências de aprendizados e descobertas.

Mamãe da Katharine, vou deixar a passagem de Lucas 02:39-52. Ore e medite no Senhor. Mais uma coisa, quem tem o selo da promessa, não se perde, pois Deus é Pastor zeloso para com suas ovelhas.

Katharine, a experiência de au pair é única. Ore, peça a graça de Deus e honre sempre seus pais. A experiência de au pair é maravilhosa, mas não quer dizer que seja fácil. Aqui nos Estados Unidos, você irá aprender ser totalmente dependente de Deus. Viverá pela fé. Aprenderá a pedir um abraço a Ele. A sentir o Espírito Santo te guiando. Fazemos muitas amizades aqui, mas você verá que nenhuma delas te preencherá. Elas serão a provisão de Deus em sua vida. Você descobrirá uma Katharine que há em você e que você nem imaginava ser possível. Então venha! Venha com a benção de Deus e com a de seus pais!!!



Ahhhhhhhh, estou muito feliz... e nem sei direito explicar o porquê da alegria. Mas tenho algumas suspeitas, então vamos pela ordem dos fatos...

Hoje eu fui a faculdade pagar por mais uma das disciplinas do curso TESOL, afinal, não posso correr o risco de ficar sem vaga. Chegando lá, enquanto eu preenchia o formulário, um senhor que passava pelo corredor e aparentava trabalhar na instituição, me comprimentou com um bom dia e um delicioso sorriso. Imediatamente correspondi. Então ele perguntara para qual curso eu estava me inscrevendo. Mas foi tão rápido...eu parei e, como se meus ouvidos tivessem oportunidade de ouvirem novamente a pergunta, respondi que era para o TESOL. Logo ele confirmou o quanto o curso era bom e requisitado, em seguida, disse quão prazeroso foi me conhecer e eu disse o mesmo, então ele agradeceu e se foi.

Lá fui eu voltar correndo para pegar minhas kids no club cristão...Mas tive que fazer uma parada e colocar gasolina no carro. Foi quando voltando para pista, eu pensava comigo o quanto eu havia aprendido das coisas da América:
- a colocar gasolina no carro, pois aqui é self-service
- a dirigir na Highway
- aonde estão os pardais da Highway
- a dirigir um carro de câmbio automático
- usar máquina de lavar roupas
- usar máquina de secar roupas
- a usar a máquina de café expresso para me servir
- utilizar o metrô

Enfim, foram tantas coisas que me passaram pela minha cabeça que um sorriso de orgulho foi inevitável.

E lá cheguei na escola das crianças, onde acontecem as reuniões do club numa sala a parte. Havia uns 15 minutos ainda de espera, então tentei falar com o diretor da escola e tentar novamente o trabalho voluntário, mas as portas de entrada do colégio estavam fechadas.
Decidi voltar para o carro e ligar para minha mãe. Ahhhhhhhh, como foi bom!!! Já fazia quase um mês sem falar com ela. Claro que não foi tão agradável no começo, porque ela me deu uma bronca e até ameaçou vir me dar uns "supapos" se eu ficasse novamente tanto tempo sem telefonar a ela. Hahahaha, mãe é mãe, né?! 10 minutos que passaram como se fosse 1.
E lá fui eu buscar minhas kids. E quando já estávamos entrando no carro, eu comento que fora uma pena não conseguir falar com o diretor. Então eles perguntaram por que não. E eu respondi. Então eles pediram para eu tentar novamente e saíram correndo para tentar abrir uma das portas de entrada. E não é que eles conseguiram?!!!
Eu caminhando e orando: ai, meu Deus, me ajuda com o inglês...
E lá fui eu...

O diretor me recebeu novamente muito simpático. Disse que não havia esquecido de mim, mas que havia perdido o papel com meu número. Perguntou mais uma vez em que série queria estar e comentou dos horários também.
Ele aparentou-se bastante animado novamente! E provei a ele que eu estava fazendo o curso TESOL e o quanto eu estava interessada em trabalhar como voluntária. Que seria maravilhoso para mim e muito importante já que estaria voltando para o Brasil em junho.
Ele disse que me ligaria amanhã, vamos ver, apesar de acreditar somente por uma grande gafe que ele cometeu. Ele perguntou se eu poderia ajudar as crianças de língua espanhola a aprenderem e se adaptarem com a língua inglesa. Eu pedi desculpas e disse que não pois minha língua nativa era o português e eu não falava espanhol, apesar da semelhança. Entretanto, que se ele tivesse algum aluno que falasse português, eu estaria muito feliz em ajudar. Ele ficou sem graça e pediu desculpas por pensar que o Brasil tivesse como língua oficial o espanhol. Enfim, mais uma vez ele me deixou empolgada, muito mais que da primeira e muito mais ainda que da segunda.
Quando saí da sala do diretor, pois desta vez fiz questão de falar com ele sozinha, as crianças começaram a questionar sobre quando eu começaria... Eu passei a mesma animação para eles. E Aaron perguntou: e se ele não te ligar? Minha resposta: simples, voltamos para pertubar ele novamente. E começamos todos a rir.

O dia de trabalho foi simples. Eles lancharam enquanto conversávamos, fizeram dever de casa e depois os pais chegaram.
Quando eu vim para meu quarto. Alguns minutos depois, chega o Josh e pede para enviar um e-mail para o Rafael. Entreguei a ele meu laptop e ele sentou ao meu lado, apoiando um dos braços em mim.
Peguei o telefone e liguei para meu irmão.
Não deu nem 10 minutos e chega o Aaron. Com um livro nas mãos, ele senta, apoia-se a mim e continua a ler o livro.
Esse momento foi tão gostoso... Eu estava ali com meus pimpolhos que arranjaram motivos banais para estarem pertinho de mim.
Depois de quase uma hora, o Aaron termina de ler o livro, levanta e me dá dois beijinhos na bochecha. Não é fofoooooooooo?!
Ai, ai, estou muito ansiosa para voltar ao Brasil, quanto mais o tempo passa, mais eu quero que chegue o dia do meu embarque. Mas eu sei que uma parte da minha beleza interior ficará aqui com eles. E uma outra saudade nascerá em mim.
Conforta-me ver que eles usam no dia a dia as palavras "ufa", "golaço", "uuuui", "frango" e ainda utilizam o "impar/par" ou o "zerinho ou um" para decidirem quem começa a brincar.

Mas e então, decidiram qual das opções acima me fizeram estar alegre hoje?! risos

Compartilhem com Deus seus sonhos e jamais desistam!!!
Um abraço a todas.

Um comentário:

Kath Futura Au Pair disse...

Oi benção, muito obrigada pelas palavras e te digo que quero muito me descobrir em todos os sentidos, pessoal, familiar e principalmente espiritual e nunca me esquecerei dessas palavras que DEUS te usou pra me dizer. Quero que saiba que percebo o Senhor na tua vida e te deixo 2 versículos: Prov.31:10 e 1º João 4:15, 16 e 17! DEUS mudou a sorte de Jó pq este orava por seus amigos e escrevendo este comentário, parei e fiz uma longa oração por ti, pois a tenho como minha amiga na fé.GOD bless you!!!BjO!!!