terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Presente de Natal - 4

Retirado so site: http://www.sk.com.br/sk-twow.html

BE UP TO - 1. He'll probably fail; he's not up to the challenge. Ele provavelmente vai fracassar, pois não está à altura do desafio. 2. What are they up to? - O que eles andam tramando (fazendo)?
BREAK UP WITH - I broke up with girlfriend. - Eu briguei com minha namorada.
CARRY ON WITH - The doctor told her to carry on with the treatment. - O médico disse a ela que continuasse com o tratamento.
CATCH UP WITH - I've been getting low grades, but I'll study hard and catch up with the other students. - Tenho recebido notas baixas, mas vou me esforçar e alcançar os demais alunos.
CHECK OUT OF - You have to check out of the hotel before noon. - Você tem que dar saída do hotel antes do meio-dia.
COME UP TO - He came up to me and said: 'you are under arrest.' - Ele chegou a mim e disse: - você está preso.
COME UP WITH - He came up with an umbelievable explanation. - Ela veio com uma explicação inacreditável.
CRACK DOWN ON - The police need to crack down on burglary. - A polícia precisa tomar medidas severas contra furto.
DO AWAY WITH - The school should do away with some of the regulations.- A escola deveria acabar com alguns dos regulamentos.
DROP OUT OF - Teenagers are dropping out of school in large numbers. - Adolescentes estão abandonando a escola em grande número.
FOOL AROUND WITH - He's been fooling around with girls for years. - Faz anos que ele anda se divertindo com mulheres.
GET ALONG WITH - How are you getting along with your girlfriend? - Como é que você anda se dando com sua namorada?
GET AWAY WITH - He got away with shoplifting at first, but now he's in trouble. - Ele se safou na época em que andava furtando em lojas, mas agora está ferrado.
GET BACK AT - I'm going to get back at him for what he did. - Vou me vingar dele pelo que ele me fez.
GET BACK FROM - She's just got back from her trip. - Ela acabou de retornar da viagem.
GET DOWN TO - The boss told us to stop fooling around and get down to work.. - O chefe mandou parar com as brincadeiras e nos concentrar no trabalho.
GET ON WITH - It seems that he's getting on well with his new girlfriend. - Parece que ele está se dando bem com sua nova namorada.
GET OUT OF - Get out of here! - Cai fora daqui!
GET THROUGH WITH - I have to get through with my work first. - Tenho que terminar meu trabalho primeiro.
GO DOWN ON - The book provides step-by-step instructions for going down on a woman. - O livro oferece instruções passo a passo sobre como fazer sexo oral com uma mulher.
KEEP OUT OF - Keep out of this room. - Mantenha-se fora deste quarto.
KEEP UP WITH - Keep up with the good work. - Continue fazendo um bom trabalho.
KICK OUT OF - The rowdy man was kicked out of the bar. - O homem desordeiro foi posto para rua do bar.
LOOK FORWARD TO - We are looking forward to meeting you. - Estamos na expectativa de nos encontrar com você.
LOOK OUT FOR - Look out for the careless drivers. - Cuidado com os motoristas descuidados.
PUT UP WITH - I'm not going to put up wth it. - Não vou aguentar isso.
RUN AWAY WITH - Don't let your emotions run away with you. - Não deixe suas emoções tomarem conta de você.
RUN OUT OF - They ran out of gas in the middle of the desert. - Eles ficaram sem gasolina no meio do deserto.
SUCK UP TO - Now that he's the boss they're all sucking up to him, hoping to get big raises. - Agora que ele é o chefe, estão todos puxando-lhe o saco, na esperança de ganharem bons aumentos.
WATCH OUT FOR - Watch out for the careless drivers.- Cuidado com os motoristas descuidados.

Presente de Natal - 3

Retirado so site: http://www.sk.com.br/sk-twow.html

ALLOW FOR - Airplane passengers should allow for delays at the check-in counter. - Passageiros de avião devem estar preparados para demoras na fila de embarque.
APPLY FOR - He wants to apply for the job. - Ele quer se candidatar ao emprego.
APPROVE OF - My mom doesn't approve of me arriving home after midnight. - Minha mãe não aprova que eu chegue em casa após a meia-noite.
ATTEND TO - The clerk will attend to your problem as soon as she is free. - A funcionária vai cuidar de seu problema assim que ela estiver desocupada.
BREAK INTO - We put an alarm in our house after a thief broke into it last year. - Instalamos um alarme em nossa casa depois de ela ter sido arrombada por um ladrão no ano passado.
CALL FOR - The job calls for English fluency. - O emprego exige fluência em inglês.
CALL ON - I sometimes call on my friends for help with problems. - Eu às vezes recorro a meus amigos em busca de ajuda para meus problemas.
CARE FOR - He is not the kind of person who cares for others. - Ele não é do tipo que se preocupa com os outros.
CHEAT ON - Mary's husband has been cheating on her. - O marido da Mary anda enganando ela.
COME ACROSS - He came across an old friend. - Ele encontrou um velho amigo.
COMMENT ON - The reporter commented on the need for better health care. - O repórter comentou a respeito da necessidade de melhor atendimento à saúde.
CONFORM TO - The army requires that all soldiers conform to strict rules. - O exército exige que todos soldados submetam-se a regras rígidas.
CONSENT TO - He will only consent to signing the contract if it complies with his demands. - Ele só vai concordar em assinar o contrato se o mesmo atender às suas exigências.
COUNT ON - We can't count on you because you are never here when we need you. - Não podemos contar com você porque você nunca está aqui quando precisamos de você.
DEAL WITH - You'll have to deal with the situation. - Você terá que saber lidar com a situação.
DO WITHOUT - I dont have a car, so I'll have to do without one untill I get a job. - Não tenho carro, portanto vou ter que me virar sem até conseguir um emprego.
GET INTO - 1. She got into the Federal University in her first try. - Ela conseguiu entrar na Universidade Federal em sua primeira tentativa. 2. His behavior isn't normal. I don't know what has got into him. - Seu comportamento não é normal. Não sei o que deu nele.
GET OVER - She got over the flu after being sick for a week. - Ele se recuperou da gripe depois depois de estar doente durante uma semana.
GO INTO - I went into the museum when it started raining. - Entrei no museu quando começou a chover.
GO OVER - She will go over the essay to check for errors. - Ela vai revisar o texto para verificar se não há erros.
GO THROUGH - 1. My grandmother went through difficult times when my grandfather died. - Minha vó passou por momentos difíceis, quando meu vô faleceu. 2. I've found a box of old documents but haven't had time to go through them yet. - Achei uma caixa com documentos antigos mas ainda não tive tempo para examiná-los.
INSIST ON - I insist on having a native speaking English teacher. - Insisto em ter um falante nativo como professor de inglês.
LEAF THROUGH - I like to leaf through books at the bookstore but I rarely buy any. - Gosto de folhear (dar uma olhada em) livros na livraria, mas raramente compro algo.
LISTEN TO - I like to listen to jazz music. - Gosto de escutar música jazz.
LIVE ON - They live on a small retirement pension. - Eles vivem de uma pequena aposentadoria.
LOOK AFTER - When you grow up you'll have to look after your parents. - Quando cresceres, terás que cuidar dos teus pais.
LOOK FOR - What are you looking for? - O que é que você está procurando?
LOOK INTO - I'll look into that matter after the meeting. - Vou examinar essa questão depois da reunião.
RESORT TO - There is no need to resort to violence when resolving a problem. - Não é necessário recorrer à violência para resolver problemas.
RUN INTO - I ran into an old friend yesterday. - Encontrei um velho amigo ontem.
SEND FOR - 1. You are very sick. I'll send for the doctor. - Você está muito doente. Vou mandar chamar o médico. 2. I'm going to send for information on American universities. - Vou pedir informações sobre universidades norte-americanas.
STAND BY - He stood by her during the good times and the bad. - Ele manteve-se ao lado dela durante os bons e os maus momentos.
STAND FOR - 1. BBC stands for British Broadcasting Corporation. - BBC significa British Broadcasting Corporation. 2. Our group stands for the rights and welfare of animals. - Nosso grupo defende os direitos e o bem estar dos animais.

Presente de Natal - 2

Retirado so site: http://www.sk.com.br/sk-twow.html

BACK OUT - I hope he doesn't back out of the deal. - Espero que ele não desista do negócio.
BREAK DOWN - 1. The poor woman broke down in tears. - A pobre mulher rompeu em lágrimas. 2. Peace talks between the warring countries have broken down. - As conversações pela paz entre os países em guerra fracassaram.
BREAK UP - The couple decided to break up after their argument. - O casal decidiu romper o namoro depois da briga.
CATCH ON - The teacher repeats grammar exercises until the students catch on. - O professor repete exercícios gramaticais até que os alunos peguem a matéria.
COME BACK - He came back to Brazil after two years abroad. - Ele retornou ao Brasil depois de passar dois anos no exterior.
DIE OUT - Many languages have died out in the history of mankind. - Muitas línguas já desapareceram na história da humanidade.
EAT OUT - We don't have any food at home. Why don't we eat out? - Não temos nada de comida em casa. Que tal comermos fora?
FALL OFF - The door handle fell off. - A maçaneta da porta caiu.
GET DOWN - When I saw the boy up in the tree, I told him to get down. - Quando vi o menino trepado na árvore, eu lhe disse que descesse.
GET UP - I usually get up early. - Eu normalmente levanto cedo.
GIVE IN - He gave in to the pressure. - Ele cedeu frente à pressão.
GO BACK - Why don't you go back home? - Porque você não volta para casa?
GO OFF - I'm sorry I'm late; my alarm didn't go off. - Desculpe o atraso; meu despertador não funcionou.
GO UP - Peace agreements and international cooperation will go up like colorful balloons bringing joy to the world. - Acordos de paz e cooperação internacional surgirão como balões coloridos, trazendo alegria para o mundo.
GROW UP - He wants to be a doctor when he grows up. - Ele quer ser médico quando crescer.
PULL OUT - The best player pulled out of the tournament because of an injury. - O melhor jogador abandonou o torneio devido a uma lesão.
SETTLE DOWN - When he was about 30 he decided to settle down and raise a family. - Lá pelos 30 anos de idade ele decidiu se acomodar e constituir família.
SHOW UP - She waited for an hour but he never showed up for the date. - Ela esperou durante uma hora mas ele não apareceu para o encontro.
SHUT UP - Shut up and listen to me! - Cala boca e me escuta!
SINK IN - Reality is finally beginning to sink in for the supporters of the former government. A realidade está finalmente sendo compreendida em sua plenitude por aqueles que apoiavam o governo anterior.
SIT DOWN - Sit down, please. - Sente-se, por favor.
SLEEP IN - Every morning I sleep in now that I'm retired. - Eu durmo até mais tarde todas as manhãs, agora que estou aposentado.
STAND UP - You have to stand up when the national anthem is played. - Você deve ficar de pé quando o hino nacional é tocado.
STAY OVER - It's late to drive home. Why don't you stay over? - Já é meio tarde para você voltar para casa dirigindo. Você não quer dormir aqui?
STRIKE BACK - The empire strikes back. - O império contra-ataca.
THROW UP - After getting totally drunk he started to throw up. - Depois de se embebedar por completo, ele começou a vomitar.
TURN UP - I invited a lot of people but only a few turned up. - Convidei muitas pessoas mas apenas algumas apareceram.
WORK OUT - From now on, instead of eating junk food, I'm going to work out at the gym. - A partir de agora, em vez de ficar comendo comida artificial, vou malhar na academia.

Presente de Natal

Pensam qeu eu esqueci?! Aqui vai meu presente para todas au pairs e futuras au pairs...

Retirado do site: http://www.sk.com.br/sk-twow.html

ASK OUT - I'm going to ask her out. - Vou convidá-la para sair comigo.
BACK UP - The senator backed up the President's economic plan. - O senador apoiou o plano econômico do Presidente.
BLOW OUT - He blew out the match after lighting the stove. - Ele apagou o fósforo depois de acender o fogão.
BLOW UP - The war plane fired a missile that blew up the bridge. - O avião de guerra disparou um míssil que explodiu a ponte.
BREAK IN - 1. Before you feel comfortable in your new shoes, you have to break them in. - Você tem que primeiro amaciar seus sapatos novos, para se sentir confortável com eles. 2. The new trainee arrives tomorrow. It'll take some time to break him in. - O novo estagiário chega amanhã. Vai levar algum tempo para treiná-lo.
BREAK OFF - The U.S. broke off relations with Cuba in the 1960's. - Os E.U.A. romperam relações com Cuba nos anos 60.
BREAK UP - Break up the chocolate in small pieces. - Quebra o chocolate em pequenos pedaços.
BRING ABOUT - Economic problems brought about the devaluation of the Brazilian real. - Problemas econômicos causaram a desvalorização do real.
BRING FORWARD - The meeting has been rescheduled for an earlier time. They decided to bring it forward one week. - A reunião foi remarcada para uma data mais próxima. Eles decidiram antecipá-la em uma semana.
BRING IN - The government will bring in new legislation to prevent economic power abuse. - O governo vai criar nova legislação para coibir abuso de poder econômico.
BRING UP - 1. Parents have the responsibility to bring up their children. - Os pais têm a responsabilidade de educar os filhos. 2. He brought up an interesting subject in the meeting. - Ele abordou um assunto interessante na reunião.
BRUSH OFF - Pentagon brushes off criminal complaint against Rumsfeld. - O Pentágono desconsidera acusações criminais contra Rumsfeld.
BURN DOWN - The fire burned down the house in a short time. - O fogo consumiu a casa em pouco tempo.
BURN UP - We burned up all of the wood in the fireplace. - Queimamos toda a lenha na lareira.
CALL OFF - I'm going to call off my medical appointment because I feel much better now. - Vou cancelar minha consulta médica porque me sinto bem melhor agora.
CALL UP - I'm going to call up my sister tonight. - Vou ligar para minha irmã hoje à noite.
CALM DOWN - They're having an argument. Let's calm them down. - Eles estão tendo uma briga. Vamos acalmá-los.
CARRY OUT - The manager has an assistant to carry out general tasks like typing and answering the telephone. - O gerente tem um assistente para executar tarefas gerais tais como datilografia e atender o telefone.
CHECK OUT - Where did you get this information? I'll check it out. - De onde você tirou estas informações? Eu vou verificar.
CLEAN UP - Clean up your room, please. - Limpa e arruma teu quarto, por favor.
CLEAR UP - I'm going to the bank to clear up the problem with my credit card. - Vou ao banco para esclarecer o problema com meu cartão de crédito.
CLIMB UP - It takes more than 4 hours to climb up that mountain. - Leva mais do que 4 horas para escalar aquela montanha.
COUNT IN - If you are going for a picnic, count me in. - Se forem fazer um piquenique, contem comigo.
COUNT OUT - If you support the war, count me out! - Se vocês estão apoiando a guerra, me deixem fora disso.
CROSS OUT - I crossed out all the errors in the essay. - Risquei todos os erros do trabalho.
CUT OFF - 1. The electric company cut off our service until we paid our bill. - A companhia de energia elétrica cortou nossa eletricidade até pagarmos nossa conta. 2. We got cut off before we could finish the phone conversation. - A linha caiu antes que pudéssemos terminar nossa conversa por telefone.
DRIVE BACK - Our brave soldiers drove back the enemy forces. - Nossos bravos soldados repeliram as forças inimigas.
FIGURE OUT - The technician figured out the problem. - O técnico descobriu qual era o problema.
FILL IN - We need your phone number. Please fill it in on this form. - Precisamos do seu número de telefone. Favor colocá-lo neste formulário.
FILL OUT - Fill out the application form, please. - Preencha o formulário de inscrição, por favor.
FIND OUT - The journalist found out that the politician was lying. - O jornalista descobriu que o político estava mentindo.
GET BACK - I want to get my money back. - Quero receber meu dinheiro de volta.
GET DOWN - Don't let this situation get you down. - Não permita que esta situação lhe deprima.
GET OUT - Get out of here! - Cai fora daqui!
GIVE AWAY - She gave away her old dress. - Ela desfez-se de seu vestido velho (dar de presente).
GIVE UP - He gave up tennis. - Ele abandonou o tênis.
HAND IN - Please answer the questions, put your name on this sheet and hand it in. - Favor responder as questões, colocar seu nome na folha e entregá-la.
HAND OUT - The teacher handed out the answer sheet. - O professor distribuiu a folha de respostas.
HANG UP - Hang up your coat in the closet after you take it off. - Pendure seu casaco no armário, depois de tirá-lo.
KEEP AWAY - Keep the children away from dangerous places. - Mantenha as crianças longe de lugares perigosos.
KEEP OFF - Keep your hands off me! - Não me toque!
KEEP ON - The company will keep him on the job. - A empresa vai mantê-lo no emprego.
KEEP UP - Keep up the good work. - Continue fazendo um bom trabalho.
KICK OFF - The bad players were kicked off the team. - Os maus jogadores foram eliminados do time.
KNOCK DOWN - He was knocked down three times during the fight. - Ele foi derrubado três vezes durante a luta.
LEAVE BEHIND - My books were too heavy, so I left them behind at the school. - Meus livros estavam muito pesados, então deixei-os na escola.
LET DOWN - Don't let me down. - Não me decepcione.
LET IN - Let me in! - Deixe-me entrar!
LET OUT - I let the dog out and the cat in. - Deixei o cachorro sair e o gato entrar.
LIGHT UP - Light up the candles with these matches. - Acende as velas com esses fósforos.
LOCK UP - The police locked him up. - A polícia o prendeu.
LOOK UP - You have to look up the dollar exchange rate every day. - Você deve verificar a cotação do dólar todos os dias.
MAKE UP - You can attend classes on Saturdays to make up for the classes you missed. - Você pode assistir aula aos sábados para recuperar as aulas que você faltou.
MARK DOWN - The shoes are really cheap. The store has marked them down by 30%! - Os sapatos são realmente baratos. A loja remarcou os preços em 30% abaixo!
PASS OVER - Don't bogart that joint my friend, pass it over to me. - Não fica te amarrando com o baseado, passa ele para mim.
PAY BACK - I'll pay you back as soon as I can. - Eu te devolvo o dinheiro assim que puder.
PICK UP - 1. He picked up the newspaper to read. - Ele pegou o jornal para ler. 2. He went to the States and picked up English in 4 months. - Ele foi aos Estados Unidos e aprendeu inglês em 4 meses.
PLAY DOWN - He tries to play down the seriousness of his wife's illness. - Ele tenta diminuir a gravidade da doença de sua esposa.
POINT OUT - 1. He pointed out the boat in the distance. - Ele apontou para o barco na distância. 2. He pointed out that I would have to learn English to get a good job. - Ele disse claramente que eu teria que aprender inglês para conseguir um bom emprego.
PULL OFF - Nobody thought he could win the election, but he pulled it off in the end. - Ninguém acreditava que ele pudesse vencer as eleições, mas, no fim, ele conseguiu.
PULL OVER - The police pulled him over for speeding. - A polícia o fez parar por excesso de velocidade.
PUMP UP - The coach really knows how to pump up the team. - O treinador realmente consegue motivar o time.
PUT AWAY - Put your things away and clean up the room! - Guarda tuas coisas e limpa o quarto!
PUT BACK - When you are finished reading the book, please put it back on the shelf. - Quando você terminar de ler o livro, por favor coloque-o de volta na prateleira.
PUT DOWN - 1. He put down the newspaper and took off his glasses. - Ele largou o jornal e tirou os óculos. 2. I'm going to put my ideas down on paper. Vou colocar minhas idéias no papel.
PUT OFF - I think I'll have to put off my dental appointment. - Acho que vou ter que cancelar minha hora marcada com o dentista.
PUT ON - He took his glasses out of his pocket and put them on. - Ele tirou os óculos do bolso e colocou-os.
PUT OUT - The firemen put out the fire. - Os bombeiros apagaram o fogo.
PUT TOGETHER - They are planning to put together a new company. - Eles estão planejando formar uma nova empresa.
RIP 0FF - The man who ripped me off is well-known to the police. - O homem que me logrou é bem conhecido da polícia.
RULE OUT - The government ruled out a cut in income tax. - O governo excluiu a possibilidade the diminuição do imposto de renda.
RUN OVER - He ran over my bicycle with his car. - Ele passou por cima da minha bicicleta com seu carro.
SET APART - 1. The quality of his work sets him apart from other painters. - A qualidade de seu trabalho distingue-o dos demais pintores.
SET UP - 1. He had a wealthy and influential father, who set him up in business right after college. - Ele teve um pai rico e influente, que o colocou no ramo dos negócios assim que concluiu seus estudos. 2. They set me up. - Eles me armaram uma enrrascada.
SEX UP - They say that intelligence was sexed up to provide a reason to go to war. - Dizem que as informações dos serviços de espionagem foram manipuladas para tornarem-se mais apetecíveis e criar motivos de ir à guerra.
SHUT DOWN - Shut the computer down and let's go. - Desliga o computador e vamos.
SHUT OFF - A device that automatically shuts off the gas in case of an earthquake. - Um dispositivo que automaticamente desliga (corta) o gás em caso de terremoto.
SORT OUT - After collecting all the information, we have to sort it out. - Depois de coletar todas as informações, temos que organizá-las.
SPELL OUT - Let me spell out the problem again. - Deixe-me explicar o problema de novo.
STAND UP - Her new boyfriend stood her up on their second date. - O novo namorado dela deu bolo (não apareceu) no segundo encontro deles.
TAKE APART - In order to fix the machine you have to take it apart. - Para consertar a máquina, você tem que desmontá-la.
TAKE AWAY - Take it away from here. - Tira isso daqui.
TAKE BACK - You should take back your purchase if you are not satisfied. - Você deve devolver a mercadoria, se não estiver satisfeito com ela.
TAKE OFF - Hang up your coat in the closet after you take it off. - Pendure seu casaco no armário, depois de tirá-lo.
TAKE OUT - He took his glasses out of his pocket and put them on. - Ele tirou os óculos do bolso e colocou-os.
TAKE OVER - Our teacher is leaving and a new one is taking over next week. - Nossa professora vai embora e uma nova assumirá semana que vem.
TAKE UP - I'm planning to take up English next semester. - Estou planejando começar a estudar inglês no próximo semestre.
TALK OUT - I'm going to drink tonight and don't try to talk me out of it. - Vou beber hoje de noite e não tente me convencer do contrário.
TALK OVER - We should talk over the plan and come to an agreement. - Devemos discutir o plano e chegar a um acordo.
TEAR DOWN - The old building is going to be torn down. - O prédio antigo vai ser demolido.
THROW AWAY - Did you throw those papers away ...? - Você jogou fora aqueles papéis?
THROW OUT - Did you throw out the old newspapers? - Você jogou fora os jornais velhos?
TRY ON - She's going to try on the new dress. - Ela vai experimentar o vestido novo.
TRY OUT - He's going to try out the new car. - Ele vai experimentar o carro novo.
TURN DOWN - 1. He turned down the job offer. - Ele recusou a oferta de emprego. 2. The music is too loud. Can you turn it down, please? - A música está muito alta. Você pode baixar o volume, por favor?
TURN IN - The witnesses turned the thief in to the police. - As testemunhas entregaram o ladrão para a polícia.
TURN OFF - I turned the TV off and went to sleep. - Desliguei a televisão e fui dormir.
TURN ON - Mike turned on the gas heater. - O Mike ligou o aquecedor a gás.
WAKE UP - Wake up the children! - Acorda as crianças!
WARN OFF - Authorities in Rio warn off tourist from taking city buses. - As autoridades no Rio advertem os turistas a não tomarem ônibus urbanos.
WASH DOWN - We had a sandwich washed down with beer. - Comemos um sanduíche e bebemos cerveja.
WORK OUT - I was unable to work out the crossword puzzle. - Não consegui resolver as palavras cruzadas.
WRITE DOWN - Why don't you write it down, so that you don't forget it. - Que tal você tomar nota disso para não esquecer.

Fotos do Natal







segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Festas sem festas num coração de au pair

Eu iria começar meu post ontem com: " Está sendo muito difícil escrever este post, mas vocês precisam saber que não é fácil passar Natal e..." e acabei desistindo no meio do caminho.
Foi realmente difícil passar o Natal longe de casa. Eu estava tão deprimida. Não queria falar com ninguém daqui. Só queria ficar trancada no meu quarto.
Dia 25/12, eu acordei 6:41 am por livre espontânea pressão das crianças. Segundo a Jean, as crianças já estão na sala às 6:25 am abrindo od presentes. E quantos presentes!!! Presentes que não acabavam mais. Se os EUA estam em crise econômica, eles nem lembraram disso neste dia. Brinquedos de tudo quanto era espécie. Uma bagunçaaaa...mas foi lindo ver a animação das crianças.
Meu presente de Natal? Uma pulseira cor prata com uma cruz sem cristo e com uma folhinha escrito "believe", um par de brincos escolhido pelas crianças e no meião, um monte de doces, umm creme e shampoo de banho da Hilary Duff e coisas pessoais que pertenciam às crianças e eles decidiram me dar como cartões postais de New York, uma pedra escrito Aaron, um cavalo de plástico e outros. Ganhei presente da Yuko também! Um globo de neve escrito "friends" dentro.
Mais tarde, depois do alvoroço, eu ainda tentei dormir novamente, mas quem disse que seria possível?! Não deu nem 10 minutos e Josh bate na minha porta desesperado para me mostar a ferrovia dele montada. Aí tive que ficar de vez, porque logo ele me pediu ajuda para montar um puzzle.
Tivemos um brunch (café da manhã + almoço) e continuamos na ativa. Brincamos, brincamos e brincamos...
Foi bacana, mas depois disso, meu mundo caíu. A saudade dessa vez não bateu na porta, mas a arrombou. Quanto mais falava com minha mãe pelo telefone, mais ficava com saudades. Noivo, nem pensar...
Foi muito ruim... Eu conversei com uma amiga pelo msn que também ela é au pair e ela falou que recebera um abraço muito gostoso da host dela. Nossa, eu não aguentei e comecei a chorar. Logo em seguida ela tirou as palavras da minha boca: "Quero que passe esses dias de festas e volte tudo ao normal". É tudo que mais quero!!!
Depois de concordar com ela, eu tive meu primeiro dia de trabalho depois das férias. Acordei tão disposta. O sol sorriu para mim e decidiu me abençoar com seu calor. Eu estava muito animada. Já agora, eu estou mortinha de cansaço e GLÓRIA A DEUS POR ISSO! Era tudo que eu precisava.
Preparei o café da manhã, o almoço, fomos para o parque, para a aula de pian, brincamos de futebol e de basquete, eles fizeram a leitura obrigatória diária e eu ainda os coloquei para fazer alguns exercícios de matemática, enfim, trabalho. Nada de ociosidade.
Agora estamos nos preparando para o Ano Novo. Ainda nem fiz minha listinha de desejos para ano que vem...
As crianças estão super-animadas. Shawn comprou um monte de fogos de artifícios. Eu por enquanto não sei se saío ou se fico...

Para finalizar, Daniiiii (anônima), parabéns pelo seu Match!!! Seja bem-vinda aos EUA!!!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Feliz Natal direto dos EUA!

É realmente estranho, mas eu vou presenciar dois "Natais" este ano. Bem, um eu acabo de presenciar, ainda que de bem longe. E outro será amanhã de manhã.
Rafael ligou para o meu celular e me fez entrar no skype. Falei com a família dele, conversamos e, ainda que rapidinho, consegui sentir todo o clima e animação do Natal no Brasil.
Enquanto no meu país o Natal é celebrado do dia 24 para o dia 25 de dezembro, aqui nos EUA é somente dia 25 de manhã, quando as crianças acordam cheias de expectativas para ver o que Santa Claus deixou para elas.

É engraçado como eu imaginava ser o Natal aqui - cheio de luzes, presentes, comidas, corre-corre; não que a cidade não esteja enfeitada, mas o brilho das luzes refletem a saudade que guardo em minh'alma. Enquanto as luzes no Brasil refletem a esperança.
Ainda assim, estou animada. Tenho mil razões para isso, mas uma das mais importantes é o assunto que rodeia este Natal: meu casamento com o Rafael.
Há poucos dias, ele me ligou para pedir opinião sobre a casa de festa que realizaria nosso casamento. A casa é linda e promete muitas coisas. Eu que pensava em ter um casamento simples, vou ter um casamento de princesa.

Quer saber de duas coisas interessantes em relação a isso?
1) O meu casamento que seria dia 19/12/2009, agora será dia 18/12/2009. Isso porque o espaço já estava reservado. O interessante está em ser a data de aniversário das minhas kids. Isso mesmo! Eu vou casar justamente no dia de aniversário deles! Não é coincidência?!
2) Este será meu último Natal solteira porque no próximo estarei casada, provavelmente ainda em lua-de-mel. Meu último Natal solteira em pleno EUA. Ai, ai.

Eu estou feliz, apesar da saudade apertar nesta época do ano.

Mudando de assunto...estou bem relaxada nestes últimos dias...desde sexta-feira eu estou de férias. Tive a casa sozinha para mim desde sábado até hoje a noite. O que andei fazendo??? Dormindoooo!!! Dormi muito e assisti muitos filmes também. Porque sair seria uma tentativa de suicídio já que a temperatura aqui está beirando de -2 a -4 graus Celsos.
Ahhhhhhh, e imagina a surpresa que ganhei na quarta-feira?! De repente, a campainha toca. Era um entregador com buquê de rosas e um urso de pelúcia. Eu logo pensei que fosse para Jean, afinal, Shawn costuma enviar rosas para ela de vez em quando sem motivos e naquele dia ele estaria chegando de viagem. Mas, então, eu passei os olhos no cartão e li: Ellen Conceicao. Nem acreditei!!! Era presente de Natal de um noivo saudoso e apaixonado! Imaginem como eu passei o resto do dia...Ainda mais quando a Jean pensou que fossem para ela e não eram...

Bom, amigos ainda não é Natal aqui...então nem vou desejar nada agora...

Beijos e aguardem meu presente de Natal para vocês. (Porque o melhor presente já nos foi dado: Jesus Cristo!!!)

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Férias das Férias!!!

Simone: Obrigada pelo carinho. Você é sempre bem-vinda. Espero que você encontre muitas informações úteis e experiências que edifiquem sua vida de futura e, mais tarde, de au pair.

Raquel: Muitas vezes fazemos planos e mais planos, e nem tudo corre como queremos. E ainda bem, porque Deus tem o melhor para nós quando confiamos nEle. Tenha paciência que a sua família está por vir, enquanto isso Ele trabalha em você também. Sabe, esse momento de espera, ansiedade e agonia é muito importante. Quando pensamos em desistir, então Deus nos faz lembrar de tudo que passamos para estarmos aqui vivenciando do bom e do ruim, que antecipadamentee sabíamos que iríamos ter. Portanto, não perca o ânimo, só confirme se tudo está certinho no seu dossiê e então confie em Deus.


Hoje foi meu primeiro dia de folga! Comecei trabalhando, afinal, meus hosts são super-esquecidos, e não é por mal, mas porque eles trabalham muito, então levantei cedo, acordei as crianças e as ajudei a se vestirem.
Ah, mas foi uma manhã especial, pois era aniversário do Aaron e do Josh.
Acordei o Josh com vários Happy Birthday e depois cantei Parabéns para Você em português bem suave para ele. Nesta hora, ele que estava bem sonolento, ficou alerta prestando atenção. Ele realmente gostou.
O Aaron dormiu na cama dos pais, então quando ele entrou no quarto para se vestir, ele veio brincando com o Shawn todo contente, estava matando a saudade do pai.
O pai cantou Happy Birthday para os dois e, então, eu pedi para ele cantar em italiano. Ahhhhhh, é tão bonito em italiano!!! Amo italiano também.
Eles foram para escola e eu dormir a manhã inteira! Maior preguiça com a chuvinha lá fora...
Foi quando eu já estava esperando os meninos chegarem da escola que o pai lembrou que eu estava de férias e que não precisava estar ali esperando pelos meninos, mas convenhamos, eles estão para viajar amanhã e sendo aniversário das crianças, acha mesmo que eu não curtiria os meninos???
Brincamos até chegar uma amiga da família. Nos reunimos perto da árvore de Natal e entregamos os presentes das crianças.
Puxa, fiquei tão feliz com a reação do Aaron ao abrir o presente. Ele queria muito o DVD Nárnia Príncipe Caspian. Quando ele havia comentado pela segunda vez para mim que queria o DVD como presente, eu me desculpei e disse que já havia comprado o presente dele. Ele levou uma baita de uma surpresa ao ver o DVD ali.
Para o Josh eu comprei um carro com vários sons e que anda sozinho. Ele amou também, mas acho que o do Aaron foi mais emocionante.

Hoje foi a entrega dos certificados. Eu nem fui. Preferi dormir. O professor que entregaria o diploma seria o mesmo que me feriu, pois a professora oficial da turma está visitando o país dela de origem - Pôlandia. Então, antes de ir para a minha primeira aula da Wizard, eu fui pegar meu certificado.
Amei o novo curso. Igualzinho aí do Brasil. A professora foi au pair também. Hoje ela trabaha num hospital e dá aula na Wizard de noite. A turma é bem pequena, comigo apenas 5 alunos. Pouquíssima escrita e bastante conversação. Amei, amei. O horário que é tarde: de 21-22:15 h. Nem é tão tarde assim, mas é que aqui nos EUA todo mundo dorme cedo durante a semana.

Bom, aqui vai minha terceira dica de pergunta às famílias:

Poderei usar o carro no meu tempo livre? Essa pergunta é importantíssima, porque aqui nos EUA não ter carro é como não ter pernas. Ônibus aqui passa de 2 em 2 horas ou mais. Além disso, alguém terá que te levar de carro até o ponto de ônibus porque não dá para ir a pé.
O fato de você ter carro para uso com as crianças não é o mesmo que ter o carro para uso pessoal, então pergunte. Não esqueça de perguntar se será só seu ou terá que dividí-lo com alguém mais da família, que por sinal é um saco! Não aceite dividir carro com ninguém. Você vai ter que ter cuidado redobrado com a segurança e com a limpeza do carro. Além disso, a outra pessoa sempre terá preferência de usar o carro antes que você.

Tá aí a dica.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Sonhos de Deus

SONHOS DE DEUS - LUDMILA FEBER


Se tentaram matar os teus sonhos
Sufocando o teu coração
Se lançaram você numa cova
E ferido perdeu a visão (2x)

Não desista não pare de crer
Os sonhos de Deus jamais vão morrer
Não desista não pare de lutar
Não pare de adorar
Levanta teus olhos e vê
Deus esta restaurando os teus sonhos
E a tua visão

Recebe a cura
Recebe a unção
Unção de ousadia
Unção de conquista
Unção de multiplicação

Não desistirei até que Deus diga pare

Demorei?! É muita coisa acontecendo num curto período de tempo que não consigo dar conta. A vida está me levando, quando seria suposto eu levar a vida.

Último sábado foi aniversário das minhas kids. A verdade é que o aniver deles será amanhã, mas como eles devem viajar no sábado, então eles decidiram antecipar a comemoração.
Uma correria que só. Eu só vim saber mesmo o que iria acontecer no próprio dia.
Consegue imaginar, em média, 40 crianças no basement??? Agora imagine elas correndo de um lado para o outro sem seus pais por perto. Conseguiu? Pois é, assim foi a festa.
Foi muito engraçado que o Josh, sendo um menino bastante organizado e cuidadoso com as coisas dele, colocou um bilhete enorme em cima do baú de brinquedos dele para que não se abrisse o baú. Alguma criança respeitou??! Nem preciso responder, não é? E o Aaron??? No meio da farra. Nem era com ele...adorava a bagunça.
Claro que, apesar de ter sido meu dia de folga, eu não podia deixar as coisas rolarem sem a minha ajuda. Até porque a Jean ficara doente bem no dia. Fazer o quê? Mãos a obra.
A festa acabara que a meu trabalho ainda não. Depois da festa, eu fui fazer babysitter para uma família.
E lá fui eu toda feliz, apesar de cansada. Os pais saíram para uma festa e só chegaram 01:15 da madruga. Ok, valeu a pena! 50 dólares ganhos para brincar e colocar para dormir duas coisinhas super fofas.
Chegando em casa, nenhum pique para tocar no laptop.
Dia seguinte: 10:30 na igreja porque o Josh e o Aaron participaram de uma peça natalina. Muito bacana, só entendi muito pouco das piadas.
Enfim descanso? NÃO! Au Pair Care meeting! Ai, ai... Rolou um amigo oculto entre nós. Foi maneiro, mas não curti muito por estar esgotada. Nem tive gana de tirar fotos.
Então saio às pressas do encontro para mais um babysitter. Uma criança de 3 meses e 2 dias. Fui mesmo apenas para trocar uma fralda de xixi, dar mamadeira e vê-la dormindo. Resultado: 60 dólares.
Final de semana morta, mas feliz da vida! Valeu muito a pena, porque hoje eu enviei uma caixa de presentes para minha família com esse dinheiro que eu recebi trabalhando.

Ainda tive segunda-feira...Nada de descanso. Aula de inglês despois que as crianças vão para a escola. Aff! O cansaço desapareceu depois que voltei para casa. Não conseguia para de pensar no que o professor substituto de inglês havia falado para mim. Disse para eu deixar de ser arrongante que então eu aprenderia mais rápido a falar inglês. Dá para acreditar nisso?!
Isso porque eu tentei demasiadamente a pronúncia do artigo THE até desistir. Então ele fala para eu praticar com meus hosts ou as crianças porque era um erro banal e todo americano sacaria que eu era brasileira. Respondi que eu não me importaria que soubessem que eu era brasileira, então foi quando me deu o fora.
Ainda tentei explicar o mal-entendido da parte dele, pois o que eu queria dizer é que a pronúncia tava tão difícil para mim que eu já não me importava mais de cometer aquele erro banal.
Enfim, tarde demais, porque aquelas palavras dele entraram como uma flecha.
Senti-me mal o dia inteiro. As crianças chegaram da escola e eu, por duas vezes, corri para o banheiro para desabafar nas minhas lágrimas. Até eu lembrar de uma canção que diz:

"Se tentaram matar os teus sonhos, sufocando o teu coração...Não desista, não páre de crer porque os sonhos de Deus jamais vão morrer. Não desista, não páre de lutar...Levanta teus olhos e vê, Deus está restaurando teus sonhos e a tua visão. Receba a cura. Receba a unção de ousadia, unção de conquista..."

Esse hino foi um bálsamo para a ferida no meu coração. Porque eu senti vontade de desistir de tudo naquele dia. Nada mais fazia sentido. Então esse hino veio a memória e eu me senti revigorada.
Compartilhei em parte o ocorrido com minhas kids. A partir de então elas não param de me corrigir quando eu falo alguma coisa errada, porque antes elas deixavam passar.

Quando meu coração já estava mais calmo, veio uma bomba. Recebo uma ligação da Yuko para me informar que ela entrado em acordo com a família para fazer rematch. Eu quase dei um treco! Minha melhor amiga nos USA correndo o risco de se mudar para outro estado.
No mesmo dia convidei a Yuko para vir na minha casa e me contar detalhes. A hostmoher dela é uma pessoa temperamental. Quando ela está nervosa solta o verbo chulo para todos os lados e para todas as pessoas, inclusive para a Yuko. Isso foi tirando a paciência da Yuko, até que ela decide pedir rematch.
Ficamos até 1 hora da manhã conversando e fazendo inscrição no site greataupair.com.

Na terça, as crianças chegam em casa às 16:00. Foi o que realmente precisava: bastante tempo para dormir. E realmente dormi.
Mais tarde, Yuko me liga perguntando se ela deveria fazer o rematch. Então marcamos de nos encontrarmos depois da aula dela de inglês. Quando nos encontramos, ela estava completamente decidi a ficar na casa da atual hostfamily dela. Isso porque a hostmother pediu desculpas pelo comportamento dela com a Yuko. Reconheceu que a Yuko era uma boa au pair e que as crianças gostavam da Yuko.
Enfim, final feliz.
Também na terça eu decido mudar de curso de inglês. Encontrei o curso Wizard aqui perto de casa. Fui lá para conferir como era. Adorei. Adorei a conversa com o dono da escola, o ambiente, as pessoas ao redor, enfim, vou começar amanhã. Será a primeira aula. E que por coincidência será a entrega de certificado do curso de listening e speaking do curso que fiz na escola que estava anteriormente.

Quarta? Ahhhh, hoje eu tive uma linda surpresa. Recebi um buquê de flores encomendado pelo Rafa. Não é fofo demais? Fofo é o gato de pelúcia que acompanhou o buquê! Amei a surpresa.
A campainha toca e eu vou receber o entregador. Quando vejo as flores logo pensei que fossem para a Jean, pois o Shawn costuma enviar flores a ela quando ele viaja por muito tempo. Como ele andou viajando muito e ainda estaria chegando de viagem hoje, então pensei que ele decidira a fazer uma surpresa a ela antecedendo a chegada dele. Mas meus olhos passaram pelas rosas procurando o cartão até encontrá-lo com meu nome. Foi realmente gostosa a emoção que senti. Como se pudesse vê-lo através da minha aliança, eu instantaneamente olhei para ela e sorri.
Toda boba decidi tirar um monte de retratos.

Bom, por hoje é só. Amanhã eu continuo a série das perguntas.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Segunda Pergunta

Confesso que começo realmente a me preocupar. Realmente a crise dos EUA não afeta as au pairs diretamente, pois não pagamos contas só recebemos. O problema é quando começa a interferir nos seus hosts.

Nada aconteceu com eles. Os dois continuam empregados e recebendo seus salários.
A Jean foi promovida na segunda-feira, mas uma semana antes uma parte dos amigos foram dispensados, e ontem ela chega meio abatida em casa dizendo que mais alguns colegas tiveram o mesmo destino.
O trabalho do Shawn também teve corte de pessoal que, segundo ele, eram pessoas bem-qualificada. Um total de 10%.
Enfim, não tem como assustar. Ainda mais quando seu host chega para você e comenta que se um dos dois perder o emprego agora as coisas ficarão apertadas, porque ainda estão pagando a casa. Mas segundo ele, daqui a um ano ele não se importará mais porque a dívida ficará quitada e tanto ele quanto a esposa ganham o suficiente para viverem bem caso um dos dois perca o emprego.

Deus abençoe a AMÉRICA!!!

Mas para quem está aí do outro lado...nada de pessimismo! Ainda tem muita família precisando de au pair. E vou te dizer o motivo: a diária de uma nanny é no mínimo 100 dólares. Aí já viu, né?!

Bom, depois de desabafar um pouquinho, vamos às coisas boas!!! Conheci mais uma au pair. Ela é da Argentina - Vicky. Muito simpática e com um inglês maravilhoso!!! Melhor para mim que vou praticar bastante e ela me ajudar a corrigir meus erros.
Ontem saímos ela, Carolina e eu. Fomos lanchar e conversar sobre nossas vidinhas aqui.
Combinei com a Vicky de irmos juntas para o próximo meeting que será domingo. Estou super animada porque vai ter amigo-oculto de 10 dólares que será sorteado no dia. Meu presente é uma caixa de bombom da ferrero rocher. Não tem como errar!

Segunda pergunta:

Você terá permissão para receber visitas de suas amigas au pairs em casa?
Acredite isso é fundamental!!! Nossa, faz maior diferença!!! Primeiro, muitas vezes você tá sem grana, então, rola uma sessão cinema em sua casa ou apenas um lanche com bate-papo. Pronto, o suficiente para não ficar entediada. E tem mais! Não tem coisa melhor quando uma au pair dorme na sua casa. Puxa, a gente conversa, conversa, conversa e quando vê, já tá quase amanhecendo...e você praticou a beça seu inglês... Eu adoro quando a Yuko dorme aqui! Ela trás o lap top dela e ficamos jogando o mesmo game, cada uma no seu lap top, para ver quem é a melhor. Brincamos, sorrimos e conversamos muito. É muito legal.
Confesso que até agora dentre minhas amigas, eu sou a única que tem permissão de trazer amigas para a casa dos hosts, o que acabo concluindo que não é tão fácil essa permissão. Mas se você perguntar e eles responderem que não, então dá uma "choradinha" e pergunta se eles abrem excessão para sua melhor amiga au pair, porque com certeza você terá aquela que será mais achegada.
Se você conseguir, comemora!!!
Boa Sorte!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Principais perguntas do ponto de vista de uma au pair

As vezes bate uma saudade, não é? As vezes nós ficamos meio assim...meio assado.
Estou super bem agora, mas confesso que final de semana eu fiquei estava neste estado de saudades e questionamentos. Aff, questionamentos!
Quando você vê a sua turma se correndo com a monografia, quando você vê seus colegas da outra facul be batinha da formatura...putz, é fogo!!! Será??? Aí começa um monte de "será?" e "e se eu..." Aí você começa a lembrar de momentos bons...seus familiares, namorado...até brigas com irmão... Mas quer saber? Vai valer a pena porque eu vou fazer tudo isso fazer a pena. Quase 6 meses aqui e estou aprendendo MUITO! Nem metade vai chegar onde eu cheguei. Tudo vale seu sacrifício.

Falando em sacrifício, eu fiz meu primeiro babysitter!!! Até que enfim, porque eu não aguentava mais tanto tempo livre.
Foi para uma amiga da Jean. Ela foi celebrar aniversário da au pair com um jantar, mas podia levar o filho caçula porque ele é muito agitado. Então, lá fui eu tomar conta do Martin de apenas 1 ano e 2 meses.
Nossaaaaaaaaaa, que menino é aquele?!!!! Não tinha botão de off! Eu dava um brinquedo para ele e depois de 3 minutos ele queria escalar a casinha de bonecas das irmãs. Mais 3 minutos depois, eu tinha que tirar a atenção dele da árvore de Natal. Mais 3 minutos e era a estante a vítima. Consegue imaginar tomar conta de uma criança dessas por 3 horas?! Eu já nem queria saber mais de quanto eu iria ganhar...queria minha cama!
Olha, eu sou fã da au pair daquelas crianças! Eu acho que não aguentaria tomar conta do Martin e mais 2 meninas. Ela já tá há 3 meses. Acho que eu faria rematch em 1 mês como au pair deles... Enfim, em 3 horas eu ganhei 40 dólares para brincar de fazer compras!!! uhuhuhuh!

Bom, chegou o momento de cumprir minha promessa.
Decidi postar a cada dia uma pergunta importante que ao meu ver não podem ser esquecida de ser feita às famílias antes de fazer o match. Tudo isso porque Martin mostrou-me que a vida de muitas au pairs não é fácil.
Eu sei que muitas meninas que estão para ser au pair lêem meu blog. Eu quero informá-las que eu sou uma EXCESSÃO. Eu trabalho apenas 4 horas diárias, tomo conta de 2 meninos que estudam e ainda tenho todos os sábados e domingos de folga. Mas não pense que é assim para a maioria...provavelmente também não será para você. Por isso decidi postar as perguntas, porque não quero que as meninas venham com uma idéia errada do que é ser au pair e depois fiquem desiludidas. Também para tornar o intercâmbio e a escolha da família mais fáceis.

Então vamos com a primeira pergunta:

1) Hora extra/ Babysitter:

Muitas nem lembraram de fazer essa pergunta...
Eu esqueci de fazer essa pergunta e hoje eu tenho muito tempo livre, com muito para poder fazer, mas com o mesmo dinheirinho de sempre.
Não reclamo do dinheiro. Ele é bastante razoável para quem não paga nenhuma conta. Eu comprei meu lap top, minha câmera digital, roupas, sapatos, e outros, mas com tanto tempo de sobra, o que você mais vai fazer é gastar.
Eu recomendo que pergunte se os pais costumam pedir por hora-extra. Mas pergunte isso mostrando ser algo positivo porque eles podem pensar que você não o queira e mascarar, e aí você acaba dispensando uma ótima família.
Caso a família precise de você, isso será uma maravilha porque você vai contar com uma graninha a mais durante todo final de semana.

Eu além de trabalhar pouco, nem tenho oportunidade de fazer hora-extra porque eles não requerem.

Bom, se eles não necessitarem, não é o fim... Então pergunte se você tem permissão para fazer babysitter para amigos, familiares, vizinhos...porque não adianta nada você ter quem precise de você e não ter permissão para realizar o trabalho.
Vale lembrar que fazer trabalho extra, como o de babysitter, não é permitido para au pairs pelas agências, logo, você realmente vai precisar da permissão da sua família ou fazer escondido deles também...

PS (BEM GRANDE !!!): Se a família costuma pedir para fazer hora-extra, pergunte com que frequência, afinal, não adianta nada você ter grana e não ter tempo para se divertir com seus amigos, e até mesmo, ter disposição e tempo para gastá-lo! E acredite, cuidar de criança dá trabalho!!!

Um abraço a todos.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Tá chovendoooo...coisas boas!

Feche os olhos, faça um pedido com a voz do coração e entregue nas mãos de Deus.
Pois é, Ele escutou meu desejo...Nevou na Geórgia!!!
Dá para acreditar nisso??? E só estamos no outono!
Ahhh, estou maravilhada!
Estava eu voltando do curso de inglês...aquele friozinho dentro do carro e um friozão fora dele...de repente eu vejo algumas coisinhas pipocando no vidro dianteiro do carro. Eu pensei: "Está chovendo?" - com aquela interrogação enorme estampado no rosto, afinal, estava caindo algo no carro, mas não estava molhando...
Acho que demorei uns 15 minutos para me dar conta que estava nevando...era tão fininho...tão pouquinho...
Cheguei em casa, estacionei o carro e coloquei a mão para fora: "Está nevando!!!!!!!" - eu cheguei a chorar de emoção! Não sabia o que fazia, eu ria ao mesmo tempo que chorava. Não dava para acreditar porque era tão fininho...tão pouquinho...
Entrei em casa, e fui almoçar... comia olhando para a porta...Estava em estado de extase, maravilhada. Eu sei que numa das vezes que olho meu prato, quando volto a olhar novamente para a porta, já não estava mais nevando...
Ahhhhhhh, valeu muito a pena. Foi rapidinho, pouquinho e bem fininho, mas valeu a pena. Acho que foi um aperitivo enviado por Deus. Eu creio que ainda vem mais por aí...
As minhas kids chegaram dizendo: Ellie, Ellie, você viu a neve??? - os dois empolgados. E começamos a conversar sobre e fazer planos caso nevasse no inverno.
De madrugada também nevou, e pude ver um tantinho do resultado de manhã...tirei foto...vou postar aqui depois.

Bom, acabei viajando...
Thanksgiving foi comemorado na casa da amiga de adolescência da minha mãe que mora na Carolina do Norte.
Nove horas dentro de um ônibus!!! Tudo bem, porque eu fui vendo as cidadezinhas e a paisagem. Tudo muito lindo...uma espécie de nostalgia. Amei.
Amei a amiga da minha mãe que acabou virando minha amiga também. Pessoa muito gente fina, aliás, toda a família foi muito legal e receptiva.
Ahhhhh, e tem mais...pela primeira vez experimentei o cobertor elétrico. Uma delíciaaaa!!! Quase que não levanto no último dia para voltar à Geórgia.
Lá visitamos um resort muito famoso, assistimos a um jogo de futebol americano com as famosas cheerleaders, comemos num restaurente chinês, e fizemos compras num shopping, além das diversas fotos que tiramos...
Em falar em Thanksgiving, eu tenho razão de sobra para agradecer a Deus, e não é somente pela neve, mas pelo livramento que Ele deu a mim e às crianças. Qual??? Em plena madrugada de ventania...de repente eu escuto um barulhão... (eu e toda a casa, excetuando as crianças que não sei como continuaram dormindo) Levantei para conferir o que havia acontecido, quando eu olho pela janela... uma baita de uma árvore estirada no chão, ao ladinho da minha janela!!!
Eu fui verificar se só eu havia acordado e encontro com o Shawn. Ele me perguntou se eu havia escutado o barulho e eu o informo que uma árvore havia caído. Jean, que estava na cama nesta hora, levou um tremendo susto quando ouviu o que eu disse, levantando-se imediatamente pra checar com o Shawn.
Sabe que no dia seguinte o Shawn veio me contar que pensou que alguém estivesse invadindo a casa e que estava a busca da arma dele para conferir quando me encontrou. Ai, ai...
Eu sei que se aquela árvore tivesse caído um pouquinho mais para a direita, acertaria em cheio o quarto das crianças e o meu. Aí já era, porque as casas aqui são 90% feitas de madeira. Parece até a casa de um dos três porquinhos...qualquer coisinha já era...
Obrigada, Senhor!!!
Ahhh tá, e no dia seguinte??? Porque a árvore fechou a passagem do carro da Jean, consequência: Shawn teve que levá-la ao trabalho e eu ficar com as crianças até o ônibus da escola chegar. Até aí tudo bem porque eu sempre fico com eles até o transporte chegar, mas Josh vai e me apronta uma que não aprontaria se os pais estivessem em casa.
Como de costume ele me dá um beijo e sai correndo...e quando ele estava quase lá para subir o degrau do ônibus, ele volta correndo, entrando desesperado na casa, procurando por algo. Bom, para quem não sabe, os ônibus NÃO costumam esperar um milésimo de segundo. Aff!!! Já estava imaginando em ter que me arrumar correndo para levá-lo à escola.
Hurry up, Josh! Hurry up!!! Eu só conseguia repetir isso atrás do menino, coitado... A motorista foi bem legal, porque eu acho que ela esperou uns 3 minutos pelo Josh. E 3 minutos parece uma eternidade quando se tem carros esperando a liberação do ônibus para continuar suas jornadas.
Para quem não sabe, porque eu não sabia, quando um ônibus escolar para, os demais carros têm que parar também, tanto de uma mão, quanto da outra mão da pista, ou seja, todas as pistas param, ainda que nenhuma criança atravesse para pegar o ônibus. Se não parar é infração gravíssima!
Aí você já pode imaginar o trânsito que o Josh estava ocasionando...ainda mais em horário de rush.
E o que ele estava procurando? Foi a primeira coisa que eu perguntei a ele quando chegou em casa. A resposta: "O dinheiro para doar para a campanha da escola." Esse é meu menino!!! Risos.

Só para deixar uma dica importantíssima: após o Thanksgiving há a maior liquidação do ano!!! Se alguém desejar comprar alguma coisa de valor, essa é a melhor oportunidade. É melhor, até mesmo, que depois do Natal!!! Tudo muito barato. Juntem a graninha e divirtam-se com as compras.

Bom, eu sei que nesse meio termo que estava sem escrever, também rolou um campeonato entre os cursos de Japones de várias universidades da Georgia. E eu tive o prazer de representar a Georgia State University!!! Só japoneses nos jogos!!! Senti-me no Japão!!! Sendo totalmente sincera, eu acho que comigo éramos 7 entre mais de 100 japoneses! Olhinho puxado para tudo quanto era lado...uma loucura! para mim, tudo gêmeos...hehehe. Foi muito divertido, até que eu no jogo de basquete me machuco. Nem me perguntem o que aconteceu, até agora eu não entendi, só sei que estou ainda com um tremendo de hematoma na batata da perna esquerda e toda manhã eu manco nos primeiros 10 minutos do dia. Isso já tá durando 2 semanas...
E quem ganhou o primeiro lugar??? A minha universidade que eu estava representando!!!Uhuhuhuhuh. Valeu, Yuko, por me convidar! Claro que ela tinha que estar no meio...

Quer mais novidades??? Ok...
Ontem eu fui na secretaria da escola das minhas kids e conversei com o diretor do colégio. Bem, não foi eu quem conversou, pois quando ele perguntou se podia ajudar, josh foi logo falando...Pois então, fomos saber o que seria necessário para eu ser voluntária na escola. E sabe o quê? Ele mostrou muito animado! Ele disse que seria um prazer, perguntou em que turma eu queria estar e quando começar queria começar... Não foi preciso nada. Nem assinar papel nenhum.
Eu devo começar o trabalho voluntário em Janeiro e ele ficou de enviar um e-mail para os pais do Josh e Aaron para informá-los sobre tal.
Muito legal, né??? Eu acho que vou ter direito a certificado quando terminar, mas não tenho certeza. Seria muito bom se sim, mas caso contrário, valerá a pena, pois as crianças são os melhores professores de inglês. E além disso, eu vou pegar vocabulário técnico, já que eu faço pedagogia no Brasil. Ou seja, valerá MUITO a pena! Estou super-animada!!! Querendo começar logo...

Arrumamos ontem a árvore de Natal juntos aqui em casa. Sabe que ganhei um enfeite para colocar na árvore?! Cada um tem um enfeite especial que o representa na árvore. Fiquei muito feliz. Ahhhh, e ainda tem o meião onde o papai e mamãe Wright Noel colocam os presentes...e tem lá o meu meião!!! Eles colocaram um para mim! Tenho que tirar fotos pra mostrar para vocês...

Para terminar: estou recebendo um monte de notícia de aceite aprovado!!! O que aconteceu??? Que boom é esse?! Wowwwwwww!!! Eu fico muito feliz por vocês, meninas!!! O melhor de Deus para vocês ainda está por vir!!!

Beijos

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Eu queroooo neve!

Ahhhh, querido outono!!! Já falei que o outono é lindo?! Sim, eu já... Eu lembro! Mas não lembro de ter comentado do frio. E que frio!!!
Sabe, eu na minha pura inocência - como diria meu irmão - não acreditava em frio. Quero dizer, eu sou uma pessoa super friorenta, mas nunca acreditei que o frio assustasse tanto quanto o fogo. Mas assusta!!!
Estou em Georgia, Sul dos Estados Unidos, um dos estados que pode ser considerado "tranquilo" no requisito "weather", mas só se for para os americanos e se comparado aos outros estados, porque para mim NÃO tem NADA de "tranquilo"!!!
Sabe o que eu descobri aqui hoje?! Frio queima que nem sol!!! Sério mesmo! Se você não acredita, vem cá dá uma espiadinha em mim...
Hoje eu fui brincar com as crianças fora de casa. Que idéia !!! Tá, mas não foi minha, foi idéia do Shawn. Segundo ele, não estava tão frio lá fora e as crianças poderiam brincar e se exercitarem um pouco do lado de fora... E eu acreditei. nem tanto, porque bastou eu abrir a garagem para aquele frio bater no meu rosto e eu estremecer.
Ok, começamos a brincar...correr aqui, pega a bola ali, fazer cesta... eu estava lidando muito bem com a situação, apesar das minhas mãos amareladas de tanto frio dizerem o contrário. Por que não acreditei nelas??! Aff! Da próxima vez eu obedeço meu corpo e calo a minha razão...
Após algumas horas... tchan-tchan... bochechas e mãos vermelhinhas. Estão doendo como seu eu tivesse pegado praia...antes tivesse...
Reclamando?! Eu?!!! Eu quero mais é que fique mais frio, mais frio e mais frio!!! Eu quero NEVE!!! Quero brincar na NEVEEEEEE! Please, my Lord!!!
Ok, ok, eu só preciso comprar mais 1.597 casacos, mas dizem que depois do feriado de Thanksgiving tudo fica barato, segundo os americanos, é a melhor época para compras, melhor que depois do Natal! Anotou a dica?!

Feriado de Thanksgiving chegando e eu não sei o que faço... tenho 4 dias consecutivos de folga, mas sem idéias para o que fazer... Poderia viajar... e confesso que essa proposta me agrada, mas em contra-partida, eu confirmei com as minhas kids de estar presente no jantar do feriado... ai, ai...dúvida cruel.

Ahhhh, não posso deixar de contar meu sábado!!!
Minha primeira presença numa festinha. Ainda não foi uma festinha típica americana, porque tinha de tudo, menos americanos...
Fui convidada pela Yuko, que por sua vez foi convidada por um amigo, que por sua vez foi convidado por uma outra amiga, que no final das contas era minha colega de classe de inglês e que só não fui convidada porque havia matado as duas últimas aulas... Pois então, festa muitoooo boa! Não por causa da comida, porque só tinha uns petiscos... Não por causa da música, porque só tinha música latina-espanhola, tipo que não me identifico... Mas por causa das pessoas!!! Simpáticas, com bom papo?! Não sei, não posso afirmar... Não deu tempo para saber, pois eles logo ficaram bêbados. E então? Puxa, como é interessante observar como as pessoas se transformam quando estão bêbadas. São um ótimo exemplo do que não se devem fazer e, defenitivamente, mais uma razão de eu não gostar de álcool.
Enfim, voltei com a Yuko, que por sinal estava um pouquinho alterada, mas conseguia ainda se conter... Dormimos e surpresa...ela ainda teve pique para patinar no domingo. O que os japoneses têm?! Incrível! Ela aguentou muito bem, sem enxaqueca e, ainda por cima, sem tombos, pois era a primeira vez dela no rinque de gelo, enquanto eu... maior moleza no corpo...

Eiiii, quem disse que eu levaria um tombo patinando no gelo?! Inacreditável, nem uma quedinha!!! Teve aqueles vários "quase" que nos fazem levar um tremendo susto, mas nada de estabacos no chão, ou melhor, no gelo.
Muito gostoso patinar no gelo. Tá que eu não "patinei", mas também não fiquei andando no gelo, e muito menos grudada no corrimão. Aliás, este é o segredo: praticar! Tenta aqui, e mais um pouquinho ali...respira fundo depois do susto de um "quase" tombo e continua... Quem nunca patinou, experimenta porque vale a pena. É maravilhoso. Foi minha primeira vez em cima de um patins e adorei!

Bom, é isso... Aqui vão algumas fotos enquanto não atualizo o fotolog.


Eu, Paloma (made in México) e Yuko


Eu, Oly (made in Venezuela) e Yuko


Gabi (made in México), Paloma, Oly, eu e Yuko no Centinnial Park


Bandeira Brasileira !!!


Cheirinho bommmm!!!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Ser au pair NÃO tem preço!

Estou me sentindo muito orgulhosa de mim hoje! E aqui eu falo literalmente, como também sarcásticamente. Por quê? Então vamos por partes.

Toda metida porque comprei meu café instantâneo sabor french vanilla, algo que só vim conhecer aqui nos EUA, já que não sou fã de café. Então lá fui eu tentar mostrar para meu irmão minha xícara cheinha de café...só para fazer inveja. E o que acontece?! Derramo a bebida em cima do meu lap top!!! Ahhhh, CABEÇÃO!!! (risos) Tudo bem que não foi lá muita coisa, mas o suficiente para ficar desesperada para sair correndo e pegar um pedaço de papel higiênico para limpar as teclas. Tão desesperada quanto uma pessoa deve estar agora lendo este post... Bom, nenhum dano aparente, apenas umas teclas um pouquinho menos macias além de um aroma meio... VANILLA! :( Ok, ok, aprendi a lição: nada de mostrar bebidas pela webcam!!! Hahahahah

Bom, indo pelo caminho da palavra cabeção, eu tenho reparado que minhas crianças estão aprendendo alguns termos como "cabeção", "golaço" e "ufa!". O que me deixa bastante orgulhosa de mim mesma literalmente. Tá, eu explico...
Cabeção porque a cabeça do Josh sempre intala quando eu tentoo vestí-lo com uma camisa pela manhã para ir à escola...isso porque ele não facilita. Golaço porque sempre que jogo futebol com o Aaron, sai um gol inesperado...aquele gol que ninguém acreditaria que fosse entrar na rede. Ainda mais comigo...toda atrapalhada. E ufa porque sempre que termino uma tarefa essa palavrinha de 3 letras saí com um grande ponto de exclamação.
Conclusão: eles aprenderam!!! E é tão bonito quando escuto eles repetindo com um tom tão natural, mas com um sotaque não tão natural... que me apaixono toda vez que escuto!!! Apaixono-me pela minha vida aqui. Apaixono-me pelo pedacinho de mim que está crescendo com eles. Não somente um pedacinho meu, mas de todo um povo brasileiro.

Em falar em pedacinho, foi o que sobrou da minha cama hoje!!! Um pedacinho para eu dormir depois que as crianças foram para a escola. Adivinha o motivo?! Porque Max e Shoulby decidiram compartilhar a cama comigo...E nem pediram permissão! Estão ficando folgados... Max costuma subir na minha cama e dormir ao meu lado, mas Shoulby apenas deita ao lado da minha cama, mas hoje ela decidiu usufruir do espaço. E Shoulby é grandona...agora imagina o meu espacinho... AMO esses cachorros!!! Esse amo é literal, tá?! (risos)

Mudando para outro tópico, hoje no jantar rolou a conversa sobre as minhas férias. Humm, não ficou bem definido... mas será entre os dias 18/12 a 04/01. Basta agora eu escolher os melhores dias. Tentei jogar para dia 03/01/2009, pois Yuko me convidou a colocar a mochila nas costas e viajar com ela para Nova Iorque, mas não rolou porque os pais estarão trabalhando e as crianças retomaram as aulas. Tudo bem, tudo bem...vamos poupar dinheiro!

Alguém tenta adivinhar aonde será o próximo au pair care meeting??? No Centennial Park! E o que tem de especial??? No momento, uma pista de patinaçao de (ou no ?) gelo!!!! Já sabem que eu vou, né?! Huhuhuhuh. E podem apostar, voltar cheia de hematomas dos tombos, porque a menininha aqui não sabe patinar, muito menos no gelo. Mas vamos que vamos...O importante é ser a estrela da atração...Ahhhh simmmmm, porque vai ser um showzaço para todos que tiverem lá a me observar caindo... Não estou nem aí... eu sou au pair e au pair pode!!! Hahahahaha

Um monte de meninas esperando aceitação do dossiê... Amigas, paciência e aproveita que isso é muito bom!!! (risos) Sério mesmo, relaxem porque a dose só está começando... depois vem o primeiro telefonema, o dia do embarque e o famoso dia do encontro com a família. Ufa!!! Maracujá funciona, viu?!
Sério mesmo, aproveitem, esse momento é muito gostoso, apesar de tirar o sono de muita gente de tanta ansiedade. É o começo de uma nova história que está prestes a acontecer!!! Todo momento é importante. Curta, curta e divirta-se imaginando sua vida por aqui!

Hoje encontrei um site muito bom para pessoas que querem aprender novos vocabulários, praticar gramática e treinar o listening: http://www.englishmedialab.com/vocabulary.html
O site vai abrir logo na prática de vocabulário, mas ã esquerda tem um menu cheinho de opções. Vale a pena conferir!

Hoje conversando com a Dani - que não é a anônima (risos) - descobri a necessidade de fazer um post de dicas e perguntas para fazer às famílias e obter uma escolha adequada, isso tudo sob a minha perspectiva já como au pair, porque já existem sites e blogs demais com esse conteúdo. Então vai ficar para a próxima postagem.

Já perceberam que estou feliz, não é?! Estou mesmo!

Beijocas e Deus abençoe o BENDITO ACEITE do dossiê de vocês. E dê paciência também :)

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A primeira vez a gente nunca esquece...2

Reply to the comments:

Dani (anônima), só você mesma para me fazer procurar o nome do filme na net...risos.
Achei! O nome do filme em inglês é: The Sisterhood of the Traveling Pants. Já em português se chama: Quatro Amigas e um Jeans Viajante. Pelo que vi, o filme tem a parte 2 também. Dá uma pesquisada sobre o filme. Valeu muito a pena para mim.
Aiii, atualizar o fotolog, né?! Ai, ai, pedido difícil, mas será atendido...dá maior trabalho...pensei que seria mais fácil...enfim...vou fazer essa semana.


Danyella, que bom que se sente assim. Sei como é esse sentimento...antes de vir para cá, eu lia fielmente um blog. Ficava me imaginando nas situações dela... Quer saber de algo? Os ingredientes são os mesmos...as vezes muda um aqui e falta outro ali, mas a maneira que eles se apresentam e que você os manuseia dá um sabor completamente diferente ao bolo. Em outras palavras, se aprende muito com os blogs, você vai viver muitas coisas que você lê no meu blog e nos demais, entretanto, o contexto, a maneira de lidar com as circunstâncias, e o grau de intensidade das situações, tudo isso faz que a sua história seja única. É tudo muito maravilhoso! Acredite!!! Você vai amar, ainda que apareçam muitas dificuldades, porque você vai aprender muito, vai refletir e conhecer um lado da Dany que ainda não conhece.


Vida aqui:

Amigos, estou vivendo um momento maravilhoso nos EUA, o OUTONO!!!
Nossa, é um espetáculo da natureza! É a coisa mais linda que vi até agora aqui. As árvores começam a mudar de cor. É rosa, vermelho, vinho, amarelo, amarelo fluorescente,salmão, enfim, é inspirador. Tem momentos que eu paro aqui em frente de casa apenas para observar as árvores. Vocês vão adorar! E o melhor, o show é de graça!!!

Deixa eu contar meu final de semana? Primeira vez a gente nunca esquece, não é?! Eu também não vou me esquecer da primeira vez que me perdi nos EUA!!!
Ai, ai, é verdade, esse dia chegou... E eu ainda estava sozinha no carro... Não sei para vocês, mas para mim faz maior diferença estar sozinha ou acompanhada quando se está perdido...eu me sinto muito mais confortável e segura quando tenho alguém ao meu lado, mesmo que esse alguém esteja mais perdido que eu...mas vamos à história.

Decidi fazer uma surpresa no domingo a Sun, uma das meninas que dividiu o quarto do hotel no treinamento comigo. Fazia um bom tempo que eu não conseguia entrar em contato com ela.
Fiz meu mapinha de como chegar e voltar de lá, porque infelizmente eu não tenho GPS no meu carro, passei num supermercado e comprei bomboms e caí na estrada.
Super-tranquilo!!! Sem nenhum problema encontrei a casa dela. Mais fácil do que imaginava, apesar de ter que pegar 2 estradas de alta velocidade.
E lá fui eu tocar a campainha. Quando ela me viu, ela ficou bastante surpresa, mas não me pareceu que tivesse sido uma boa surpresa... e não me enganara, primeiro pelo rosto dela, segundo porque a primeira coisa que ela perguntou foi o que eu estava fazendo lá...
Descobri então que ela estava de saída para a igreja. Aff! Nem acreditei...Eu precisava muito desabafar naquele dia, devido às minhas reflexões sobre o tal filme. Perguntei se eu podia ir a igreja com ela. Sabe qual foi a resposta? NÃO. Dá para acreditar?! Não me perguntem a religião dela, mas eu não podia participar da reunião porque haveria uma cerimônia especial e que era somente permitida a entrada de thailandeses. Fazer o quê, né?! Desperdi-me muito triste. Peguei minha bolsa e fui embora.
Seguindo o mapa, era suposto para eu entrar à primeira direita e eu entrei na segunda a esquerda. Aff!!! Caí bem numa pista de alta velocidade. O problema destas pistas é que elas não têm retorno, somente saídas para outros bairros. Aí, complicou tudo!!! Nem acredtei. Lembro de ter falado para mim mesma: Respira fundo e enfrenta sua primeira aventura nos EUA. Não se preocupa, você não vai parar no Japão...
Só rindo, né?! Agora eu estou rindo, mas precisei realmente respirar fundo.
Decidi pegar a primeira saída. Nem observei para qual bairro estava entrando... Parei numa lanchonete para perguntar como fazia para ir para o sentido norte, que era justamente o sentido da pista de velocidade que precisava tomar.
Avistei um homem fora da lanchonete perto de um carro, então decidi perguntar a ele, para não ter que entrar na lanchonete que estava cheia. E adivinha?! Quando comecei com o meu "hi, sr..." ele deu um passo para trás, se posicionou com postura de defesa e as mãos de ataque. Acreditem, ele pensou que eu fosse assaltar ele!!! SÉRIO!!! Puxa, agora é até engraçado, mas fiquei me perguntando se eu tenho cara de assaltante ou se ele que estava distraído...
Eu levei um choque tão grande que eu fui logo dizendo " I am sorry, sr. I just want some informations. I am lost " e apontava para meu mapinha. Ele não era da Geórgia, era da Flórida. Pedi desculpas por assustá-lo e me retirei em direção à entrada da lanchonete.
Aff! Dá para acreditar que uma jovem, que todo mundo dá menos de 20 anos, e que dizem que ter emitir uma tranquilidade ao falar, pode assustar um homem muito mais alto e forte?!
Enfim, decidi perguntar a um senhor de idade. Ele me explicou direitinho. Mas adivinhem, tive que retornar 5 vezes para na sexta tentativa pegar a saída. Minha cabeça estava lá de ocupada pensando em tudo que já havia acontecido até o momento que eu sempre passava da entrada da rua que me levava ao meu destino.
Conseguindo pegar a bendita entrada, do resto foi fácil... caí na pista e continuei seguindo meu mapa.
Dormi quando cheguei a tarde inteira. Nem vi minha hostfamily. Evitei o tal encontro. Não estava bem.
Mas Deus é bom. Encontrei-me mais tarde com a Yuko no curso gratuito de inglês que faço numa igreja e decidimos depois da aula passar numa cafeteria.
Lá fui eu pedi meu café... e um donut...problemático donut. O rapaz da lanchonete decidiu fazer uma pergunta retória ao meu pedido. MARAVILHA!!! Não conseguia entender a pergunta. Até que ele vira para mim e pergunta se eu falava português.
Acreditem só não perguntem o motivo, mas você vai ficar muito feliz toda vez que se deparar com um brasileiro (a)!
Meu sorriso abriu instantaneamente. Você é brasileiro?! (Dã!!! Claro que era, estava falando português com um sotaque inconfundível do meu povinho querido). Ele era de Goiás. E o melhor de tudo?! O café saíu de graça. Sorte minha porque eu pedi um copo enorme!!!
Conversamos, primeiro eu e Yuko, depois ele se juntou a nós. Português, inglês, uma mistura só! Muito bacana.
Consegui terminar o meu dia bem... sem nenhum peso de antes.

Ei, Obama ganhou as eleições, né?! Povinho americano está feliz, excluindo minha família que estava torcendo para o Mc Cain... Vamos ver no que vai dar. Eu terei 6 meses para presenciar as novidades vindas dele. Que Deus o abençoe e o dê sabedoria para colocar os EUA nos eixos econômicos novamente...


Ahhh, posso contar outra coisa?! Estou tão bem com meus pimpolhos...É muito gostoso estar com eles. É isso... risos. É porque eu sou muito mimada por eles. Eles me abraçam, me beijam, dizem que me amam e me convidam para os momentos deles...momentos que só cabem a eles. Volta e meia me perguntam quanto tempo falta para eu voltar para o Brasil e se eu decidi ficar mais um ano. Isso amolece e parte meu coração.

Por hoje é só.

Deus abençoe cada um. E vamos que vamos, todas confiantes!

domingo, 9 de novembro de 2008

Sutilmente...

É tão sutil...
Você chega cheia de sonhos, de fantasias, de planos, e as coisas começam a tomar o seu rumo...vão acontecendo.
Eu não percebo, mas sei que está acontecendo, sei que estou mudando, sei que estão acontencendo diversas transformações.
Será bom?! Você sai de um jeito e vai amadurecendo, aprendendo, vivendo, e as pessoas que você ama distante de você. Não que se deixa de acontecer tais coisas quando se está perto, mas as pessoas que você ama estariam acompanhando estas mutações.
E aí se passa um mês, três, um ano...Você volta e... surpresa, esta sou a nova "EU"! Assim como também você abraça os seus que já não são tão seus porque eles também viveram e se tornaram em outros...

Eu ainda estou no quarto mês, quase no quinto, mas hoje, vendo um filme, comecei a pensar nisso. O quanto eu serei deles e o quanto eles serão meus?! E os que estão aqui?! O quanto sou deles e eles meus?!
Resposta: indeterminado.


Abraço gostoso;
Você precisa de mim? E a cabeça sonolenta balança afirmativamente;
Eu amo você;
Uma caminhada;
Você está bem? Sim, eu estou, obrigada;
Ellie, posso entrar? Eu quero te dar um abraço;
Algumas fotos,

Foram os ingredientes que fizeram parte do meu delicioso dia.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

De Ellen para Daniella

Dani (posso?), eu sou (ou era) muito apegada a minha família.
Eu costumava ir ao quarto da minha mãe todo dia e deitar na cama para conversar abraçada a ela. Conversávamos e víamos televisão juntas. É um dos momentos que mais sinto falta aqui. Além disso, eu tenho um irmão que é mais novo que eu, mas me trata como se eu fosse a mais nova...um cuidado incrível. Ele tem o costume de dizer que tem a obrigação de cuidar e me orientar nesta vida porque eu sou muito inocente, segundo ele.
Acabei de rir!!! Lembrei de algumas das frases que ele costumava a me dizer no Brasil:
- Ahh, como é inocente, minha vida!

Ou outra como:
- Vida, amore, acorda para a vida! Queridinha, vamos acordar do sonho encantado e viver o mundo real?! Chega de "Diário da Princesa" ! ( eu sou fã dos filmes e leio a coleção do livro)

Ou então:
- Bom dia, princesa. Como está o seu dia hoje? Passarinhos cantando com trilha sonora ao fundo?!

Risos. Ele me dizia uma dessas frases todos os dias. Sempre com um tom sarcástico delicioso! Sempre me fazia rir com as caras e bocas que ele costumava fazer para me dizê-las. Ele também é o beijoqueiro da casa!!! E como eu sou a princesinha...já dá para imaginar quem ficava com a baba, né?! EU!
Conclusão: sim, eu era muito apegada!

Como lido com a saudade? Bom, aqui vai minhas dicas:

- Converso sempre com Deus. Ele é meu principal suporte! (Acho que não é a toa que a igreja é o local que mais costumo chorar... É quando Ele me esvazia.)

- Leio a bíblia. Pão nosso de cada dia!

- Skype, Msn e cartão telefônico pré-pago. 3 suportes indispensáveis!

- As minhas kids. Quando estou triste, eu costumo contar a elas como me sinto, elas me compreendem e me ajudam a superar o momento.
A verdade é que a relação que eu tenho com minhas kids é extraordinária. Nós brincamos muito e elas me fazem rir constantemente.

- Se você gosta de animais, entao você vai encontrar um bom aconchego nos animais da sua hostfamily, se eles tiverem, claro! Eu amo o Max e a Shoulby!!! Eu não sabia que eles existiam antes de vir para cá, e foi uma das melhores surpresas. Eu brinco, com eles. Quando estou almoçando, eles almoçam a ração deles também. Quando eu tiro meu cochilo de manhã, eles entram no meu quarto e dormem também, ou seja, são super companheiros.

- Amigos. Com eles você desabafa e se diverte ao mesmo tempo.
Talvez você tenha dificuldades para fazer amizades no começo, principalmente se você quiser evitar pessoas que fale português, mas é super natural, não se preocupe.

- Encontre um hobby. Eu, por exemplo, adoro quebra-cabeças. As vezes as minhas amigas estão trabalhando, ou eu estou sem dinheiro para sair, então corro logo para meu brinquedo favorito. Tenho um monte e adoro.

- Faça exercícios físicos! Parece até piada, né! Mas acredite, fará você se sentir muito bem, além de ajudar a você a manter (ou perder) seu peso.

- Faça de tudo para se alimentar bem. E eu sei que é uma das coisas mais difíceis nos EUA. mas isso ajuda muito! Verduras e Legumes no nosso prato de cada dia.

- Evite ficar de bobeira! Cabeça vazia, oficina...da saudade! Faça, invente, mude, enfim, keep moving!!!

Acho que é isso.
Respondido?!






Sorte a minha! Ele

Em processo de autoafirmação

Minha maior dificuldade confesso que não é a saudade. Ainda que eu chore e tenha momentos tristes, minha maior dificuldade é lidar com o fato de estar sozinha, num país que para mim é estranho.
Acredite, se você é totalmente insegura, dependente, gosta das coisas nas mãos, entre outros, esse é o programa para você. Você vai aprender na marra. E apesar de todas as dificuldades, você vai gostar do programa, claro que se tiver uma família legal ajudará muito!

Hoje foi uma correria no comecinho da tarde, e num dos meus momentos de lavar as roupas das crianças, me veio um simples pensamento que mexeu comigo: " caramba, eu estou parecendo uma dona de casa! Ou seria uma babá, já que este é meu trabalho?! "
Bobo pensamento, mas por que não saíu da minha cabeça? Sabe, minha nova professora de inglês foi explicar o que é ser au pair: "uma babá internacional que mora na casa da famíla". Curto, grosso e meio verdade, se não fosse pelo fato de ser um intercâmbio. Apesar, convenhamos, o nosso visto não é de turista, nem de estudante, mas de trabalho. T-R-A-B-A-L-H-O!!!! Esteja pronta para isso! Nào é apenas diversão, mas você vai se divertir MUITO! Não é apenas sorrisos, mas acredite, você terá ótimas gargalhadas aqui.
É trabalho, é mão de obra barata, mas é maravilho. 4 meses e não me arrependo. Ficaria mais um, mais dois, quem sabe três anos se pudesse. Enfim, a verdade é que tenho pensado no que virá depois que eu voltar...

Tenho a faculdade de pedagogia para finalizar - 1 semestre se conseguir fazer a mono neste curto prazo de tempo; facul de dança - já até me perdi...acho que mais 2 anos e 6 meses. E então vem os planos...aí, aí. É incrível como minha cabecinha consegue pensar em tanta coisa num curto espaço de tempo! Deixa para lá...

Hoje falei com a mamy!!! Lembrei de quando eu era criança e ela sempre voltava do trabalho com uma guloseima, e quando já estava no ensino médio, então era eu quem levava algo para ela...risos

Bom, quero dizer que conquistei meu certificado do curso de inglês por ter completado 2 níveis do curso e com ele meus créditos para a Au Pair Care. Ufa e uhuhuhu!!!! Poderia continuar até conquistar o diploma, mas decidi seguir apenas com a ênfase no speaking e litening, já que até então o foco era a gramática.



Outono com friozinho de inverno!!! Amigos, o frio existe! O que conhecemos no Brasil é apenas uma brisa! E olha que estou no sul dos EUA, porque o norte... É muito engraçado que tem sol e tudo, mas apenas com a função de iluminar o país. Como se não bastasse a ventania, aquele vento GELADO!!! E eu quero mais que baixe mais a temperatura! Que fique mais frio! Eu quero é ver neve!!!

Disney on Ice: M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!
Curti muito com as minha hostfamily e com a Yuko aquele momento mágico. Como é fácil se perder naquele mundo encantado!

Finalizando com o recadinho do Aaron e Josh.
Beijos e façam muito planos!!!






"Dear Ellie,

I am so sorry. I seriously do not want you to get in trouble. Please, forgive me?

Love,
Josh and Aaron"

domingo, 26 de outubro de 2008

Era uma vez...

Era uma vez, uma menina que tomava conta de duas crianças.
Certo dia, ela decide dizer para uma das crianças que se errasse mais uma vez o dever de casa, ela teria que fazer 70 abdominais. Não que a menina realmente quisesse que a criança fizesse 70 abdominais caso ela cometesse algum erro, mas foi uma maneira que a menina encontrou para estimular a criança a prestar atenção no que estava fazendo, sem dizer que ela falou num tom super de brincadeira.
A criança errou 3 vezes, ou seja, 210 abdominais. A criança levou super na esportiva. Ela sabia que era mais uma brincadeira que uma punição. Então, a outra criança vira e pergunta à menina se poderia fazer 70 abdominais, afinal, ela também errara uma vez o seu dever de casa.
E lá estava as duas crianças fazendo o exercício físico.
O que era uma brincadeira, ou apenas deveria ser uma brincadeira, tornou o final feliz da história numa grande confusão, num emaranhado de mal-entendidos.

E foi justamente o que aconteceu comigo... :(
Depois da brincadeira, saímos para fazer compras. Josh então avisou ao pai que estávamos saindo. Ele respondeu que tudo bem, mas que deveríamos estar de volta em 30 minutos.
E lá fomos nós, mas não voltamos em 30, mas em 45 minutos. Por causa disso eles se atrasaram para algum tipo de compromisso que eu não entendi muito bem qual era. Alguma coisa relacionado à escola, mas nada de tão serio. Foi então que o Shawn perguntou ao Josh se ele havia feito sua leitura diária e ele respondeu que não.
O Aaron fez a leitura, mas eu realmente esqueci do Joshua. E o que aconteceu? Uma simples pergunta: por quê? E aí começa minha confusão.
Josh respondeu que teve que fazer 210 abdominais porque havia errado o dever de casa. A mãe escutou e aí já viu, né?!
Ela veio me perguntar se aquilo era verdade.
Neste momento eu estava no quarto passando algumas fotos para o computador, até que ela me chamou.
Eu sinceramente não acreditei naquilo que estava sendo perguntado. Seria mesmo eu capaz de obrigar uma criança a fazer 210 ABDOMINAIS???
Então, eu expliquei a ela que estávamos brincando, que não forcei eles a fazerem o exercício.
O Josh apareceu no corredor, e então, eu perguntei na frente da mãe: Josh, eu forcei você a fazer as abdominais? a gente estava brincando, não estava? E ele foi a meu favor, quando apareceu o Aaron e eu fiz as mesmas perguntas. E ele respondeu que não, que não estávamos brincando. Eu quase dei um treco!!! Sabe por quê? Porque foi ele que se convidou a fazer as 70 abdominais, enquanto Josh fazia as supostas 210. Foi ele que me perguntou se podia fazer também! Então perguntei se eu forcei a ele a fazer as 70 abdominais. Ele respondeu que não (aleluia!!!). Perguntei se ele lembrava de ter convidado a si mesmo a entrar na brincadeira e ele disse qua não. Para piorar minha situação, perguntei ao Josh se ele havia escutado a pergunta do irmão. O problema que quando o Aaroon me fez a pergunta, Josh estava fazendo o exercício e contando as abdominais que fazia. Ele, claro, respondeu que não.
Então contei detalhe por detalhe como havia acontecido a brincadeira.
A única coisa que jogava realmente ao meu favor era o fato de que Shawn estava em casa a todo momento no dia, ou seja, enquanto brincávamos o Shawn estava presente. Inclusive, antes mesmo de Aaron se convidar, ele chegou a comentar com o pai que Joshua teria que fazer 210 abdominais por ter errado 3 vezes o mesmo exercício; e a resposta dele foi simplesmente: que bom!
A Jean falou que entendia que era brincadeira, e que os meninos não haviam reclamado, mas apenas comentado como resposta a pergunta do pai do porquê da não leitura obrigatória do dia.
Voltei para meu quarto e continuei a mexer nas fotos, mas aquilo ficou engasgado, como também acho que ficou para ela, pois ela voltou ao meu quarto uns 3 minutos depois.
"Ellen, eu sei que você está chateada..." Foi quando eu a interrompi e respondi: "Jean, eu até entendo que você não confie em mim. Nós nos conhecemos apenas a 4 meses, mas você acha mesmo que eu forçaria a seus filhos a fazerem abdominais com o seu marido em casa???". Confesso que nessa hora eu já estava desabando em choro. Desabando em choro sem melodrama, o que quero dizer aqui é que eu não conseguia evitar as lágrimas rolarem.
Também perguntei a ela, ainda que não fosse por maldade, se ainda assim ela achava que seria capaz de fazer isso estudando pedagogia e dança na faculdade.
A resposta dela? Ela acha que deve ter sido um mal entendido de comunicação devido a minha dificuldade no inglês e que por isso eles poderiam ter interpretado como uma obrigação. Ainda sou obrigada a escutar isso também :(
Enfim, para encerrar o assunto, eu discordei, porque caso contrário o Aaron não teria se convidado para brincar e expliquei o porquê o Josh não havia escutado a pergunta do irmão. Também falei que se eles achassem que era tão sério, eles não teriam pegado pesinhos para continuar se exercitando e ainda depois ter feito uma aposta baseada em outro exercício físico. Ela pediu para que se eu achasse que o Aaron estivesse com mania de mentir, para que eu falasse para ela da próxima vez. Eu repliquei dizendo que ele não estava mentindo, mas apenas contando meia verdade.

Josh entrou no meu quarto, depois que a mãe havia saído, e me abraçando já chorando, me perguntou se eu estava com problemas com a mãe dele. Ele me pediu desculpas, não queria ter me deixado em má situação. Apesar de ter sido por causa da resposta dele a minha confusão, aquele abraço foi a melhor coisa que podia ter acontecido naquele momento. Ver aqueles olhinhos cheio de lágrimas apertou meu coração.

Blá-blá-blá. Eu sei que depois eles saíram para jantar e eu fui fazer minha inscrição para o próximo período no curso de inglês. Descobri que não precisaria pagar 10 dólares para mudar de turno e aproveitei para conversar bastante em inglês com a secretária.
Voltei para casa mais leve.
Quando chegou em casa, eu encontro uma vaquinha do restaurante Chick-fil-A e um papel com um pedido de desculpas pela confusão assinado pelos dois. Depois coloco a foto aqui para vocês verem.
Tentei desabafar com o Rafa, com minha mãe, mas não saíu nada, o jeito foi dormir...

Tá, e como encarar o dia seguinte o Aaron?! Porque sinceramente, eu fiquei magoada com ele. Mas não teve jeito, lá fui eu acordar o Aaron e ajudá-lo a vestir a roupa.
Depois da escola, um frio que só, o Josh me pergunta porque estava de maneira diferente... "Nada, apenas está muito frio."

As crianças foram limpar a varanda que a mãe havia ordenado de manhã, enquanto eu estava preparando uma vitamina para eles. Foi quando o Aaron chega com um punhado de rosas e diz: Ellie, me perdoa por não ter confiado em você ontem.

Ahhhhhhhhhh, não contei, né?! Quando saímos para fazer as compras, o Aaron queria comprar uma caixa de madeira, mas como na realidade não fomos realmente para fazer compras, mas sim, saber o que iria comprar no dia seguinte com o cartão de presente que eles receberam, então ele começou a chorar. Chorava alegando que quando voltasse no dia seguinte já teriam comprado a caixa antes dele. E eu pedindo para ele confiar em mim alegando que ainda que comprassem, a loja teria da mesma caixa no estoque. Enfim, chegamos atrasados por causa disso...

Mas voltando às rosas...não tive como resistir, porque ele se ajoelhou para fazer o pedido. Quando tomei as rosas, ele me deu um abraço super carinhoso.
Claaaaaaaaaaro que eu preferiria um bilhão de vezes que ele me tivesse pedido perdão por ter negado minhas perguntas na frente da mãe dele, mas fazer o quê?
Retornamos à loja e eles decidiram comprar um enfeite de Natal que eu havia gostado muito no dia anterior. Eu não acreditava naquilo, afinal custava 10 dólares dos 50 que eles tinham. Aaron teve que renunciar a bandeira americana que ele queria para comprar meu presente. Eu repliquei dizendo que não era necessário e Josh respondeu que eles queriam comprar o enfeite para mim porque eu era uma "AWSOME Au Pair".
Ok,ok, confesso que saíu um trilhão de fogos de artifício de dentro de mim. Nisso, se achega o Aaron e me dá um abraço confirmando as palavras do irmão.

Tá...e para finalizar este post, quando chego em casa, o chaveiro caíu em cima do meu enfeite quebrando ele em pedacinhos...ARGHHHHHHHHHHHHHHHH! As crianças não viram...


Moral da história: finais felizes só em conto de fadas!!! (brincadeirinha...)

sábado, 25 de outubro de 2008

Aaron e Joshua show

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Au pair sim! Com namorado??? Quem sabe?!

Hoje eu fui andar para me exercitar um pouco e fiquei pensando na questão "namorado" quando a menina quer ser au pair. Oh bichinho difícil! Ou será que somos nós? Afinal, quem quer morar longe do que já é seguro e conhecido por um ano somos nós, não eles...
A verdade é que queremos. E quando queremos...
Bom, vamos pensar juntas (o que não acaba sendo verdade, já que eu estou sozinha escrevendo no blog agora). Um bom começo seria resposta para 5 perguntas básicas:
- Eu o amo?
- Ele me ama?
- O quanto ser au pair é importante para mim?
- Por quê?
- Para quê?

Acho que com essas respostas, você poderia iniciar um diálogo com seu namorado e compartilhar suas razões, da mesma forma que escutaria os motivos dele para não querer que você vá.
A verdade é que é muito difícil. Para ambos. E acredite, mais para você futura au pair. Você estará lidando com a saudade, com o desconhecido, com as dificuldades de uma nova língua, com a adaptação com os hosts e as kids, enfim, enquanto ele estará somente sujeito a saudade sua e às tentações ao redor.
Quando decidi ser au pair, eu já tinha 5 anos de namoro e já éramos noivos. Foi complicado. Ele também não aceitou. Chegamos até a terminar, mas a nossa vivência e a nossa relação já tinham uma consistência fortalecida. Ainda não somos um, mas já éramos uma mistura indissociável de nós dois.
Voltamos e decidimos então conversar.


Pontos que você pode mostrar a ele:

- A experiência que você vai adquirir aqui nos EUA vai ser importante não só para você, mas para ele também. Se vocês pretendem um dia casarem, quando você voltar, vai ter um currículo maravilhoso, possibilitando arranjar um emprego muito melhor do que se você não passasse por aqui. Isso facilitará na construção de uma vida a dois, que todo mundo sabe que não é fácil no começo. É o apê, são os móveis, os eletrodomésticos...

- Se o medo é um perder o outro, então, o que basta é um cuidar do outro. Eu sempre digo que o que está guardado não se perde, contanto que sempre se averigue se ainda está ali, porque senão se esquece da sua presença. Com o amor não é diferente. Tomando o meu exemplo, sempre conversamos pelo skype/msn. É certo que não é todo dia, mas finais de semana sempre dou uma entrada para conversar com ele. Quando não é possível, e isso as vezes acontece, Rafael tem sempre o cuidado de ligar para meu celular pelo skype (procure saber melhor, porque é muito barato).

- Outra dica é o blog. Confesso que além de ser uma ótima recordação que estou fazendo, ele também é uma forma de comunicação entre meu noivo e eu. O assunto não morre porque ele sempre dá uma fuxicada no blog para saber o que está acontecendo. Ótimo, porque se ele me perguntasse o que tem de novo, eu certamente responderia nada (apesar de ser uma vida cheia de novidades, a gente sempre as deixa passar em branco, parece que nada é tão novo assim...). Então, ele sempre comenta comigo o que escrevi e como escrevi. O assunto entre nós não morre, porque apesar de estarmos longe, estamos perto através das palavras.

- Que tal se você enviar cartas, cartões postais?! Isso também alimenta o amor. E é muito bom receber uma demostração de que você está pensando nele em momentos tão importantes para você. Confesso que ainda não enviei cartão postal, mas já tem um a caminho...

- Antes de vir para cá, combinei com meu noivo dele vir me visitar depois de seis meses. É claro que ele trabalha e minha hostfamily aceitou a presença dele aqui, o que facilitou bastante. Então, se você ainda está em processo de busca de família, pergunte se seu namorado pode visitá-la aí. Aproveite e pergunte se você terá oportunidade de fazer horas extras porque então você pode ajudar na compra da passagem aérea dele. Olha, se ele não trabalha, confesso que se você fizer horas extras, poupar seu dinheirinho e antencipar a compra das passagens, então você consegue sim comprar as passagens. Confie em mim.



Se apesar de tudo isso ele disser não, então cabe a você decidir.

Existem muitas meninas que renunciaram para dar continuidade ao namoro, e nem por isso são menos felizes que nós que somos au pairs.
Entretanto, eu, particularmente, penso da seguinte forma: se ele não está disposto a vivênciar e compartilhar algo tão importante comigo, então não estará quando casarmos. Para mim amar é isso: vivermos e compartilharmos juntos, ainda que exista a distância; é estamos unidos ainda que na ausência.